Praia: Grupos do Carnaval não vão desfilar devido a “tratamento discriminatório e disparidade” por parte do MC

18/01/2017 08:07 - Modificado em 18/01/2017 08:07

O encontro entre os grupos carnavalescos da cidade da Praia e o Ministro da Cultura não surtiu efeito. O porta-voz dos grupos, Vladimir Ferreira, disse aos jornalistas em conferência de imprensa que dos seis grupos oficiais, cinco concordaram não participar no Carnaval 2017, devido às políticas de financiamento e ao que consideram “tratamento discriminatório e disparidade” por parte do Ministério da Cultura e Indústrias Criativas.

Depois do encontro com a Vereadora da Câmara Municipal da Praia, os seis grupos oficiais reuniram-se no passado sábado onde saiu a decisão de não participarem no desfile do Carnaval no dia 28 de Fevereiro.

Depois do encontro com o Ministro da Cultura, os grupos afirmaram estarem satisfeitos após o Ministro ter garantido abertura e verba para o Carnaval. Os grupos Samba Jó e Vindos do Mar de Achada Grande eram os únicos confirmados para desfilarem no sambódromo da Avenida Cidade de Lisboa na Cidade da Praia.

Vladimir Ferreira, porta-voz dos grupos, afirmou em conferência de imprensa que a decisão foi unânime entre cinco grupos, faltando apenas a confirmação do grupo Samba Jó. Ferreira justifica a não presença dos grupos com o que consideram de “tratamento discriminatório”, para além de apontar razões que têm a ver com problemas internos de cada grupo.

O mesmo reconhece ter havido “bom diálogo” com o Ministro da Cultura Abraão Vicente, mas que os objectivos da luta para revogar o edital que causou polémica entre os grupos não surtiram efeito.

“Não temos nada de concreto e não há tempo para preparar o Carnaval”. Contudo, diz que a decisão dos grupos serve para repensar e preparar da melhor forma o Carnaval 2018. Os grupos apelam por uma maior reflexão e envolvimento por parte do Ministério da Cultura.

A polémica à volta do Carnaval tem a ver com a política do Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas ao fazer a discriminação positiva atribuindo aos grupos de Carnaval de São Vicente e de São Nicolau uma fatia maior em relação a outros grupos nacionais, isto por entender priorizar “as duas ilhas onde o Carnaval se tem mostrado como um produto de qualidade para o turismo com o foco de criar postos de trabalho e qualificar o Carnaval”.

  1. Cidadão atento

    Politiquice!!!! Estamos atentos e basta ver o porta voz dos grupos para sabermos o fundamento de tudo isto. Mas nós, não somos ignorantes!O Povo da Praia sabe donde vem tamanha disparate e a influencia descabida de tudo isto!! Só faltava essa, oposição através de grupos carnavalescos!!!! Estamos atentos! O. O aviso esta dado!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.