A facilidade na obtenção de drogas: “as vendas acontecem dentro da própria escola”

16/01/2017 07:28 - Modificado em 16/01/2017 07:28

Os estudos demonstram que os jovens estão a ter cada vez mais cedo, contacto com o álcool e as drogas. O álcool tem tido mais atenção por parte das autoridades e com planos delineados para o seu combate. As drogas têm tido alguma atenção, mas não mais do que o álcool. Isto também se deve ao facto de existir, para o álcool, alguma legislação e ainda pelo facto de ser um produto legal e de consumo social, pelo que a questão é o seu uso abusivo.

Para as drogas, devido à sua ilegalidade, a tarefa tem sido um tanto mais difícil, mas a sua obtenção não. As autoridades têm feito o seu trabalho. Recorda-se que há poucos meses a apreensão de droga, neste caso cannabis, fez com que o preço aumentasse de forma exponencial. Esse facto fez com que os consumidores diminuíssem o consumo, mas a procura aumentou nesse período.

A facilidade na compra de estupefacientes é uma realidade, como revelam alguns entrevistados, que pelo teor do conteúdo da notícia não mencionaremos os nomes. “Drogas são das coisas mais fáceis de conseguir”, menciona um entrevistado. Em qualquer zona, em qualquer lugar, consegue-se a quantidade e o tipo de droga pretendido.

A cannabis tem sido uma das drogas mais usadas. O preço é convidativo. Com cinquenta escudos consegue-se comprar um “taco” que serve para fazer um cigarro. E numa conta, numa das zonas da ilha, um entrevistado conseguiu contar cincos pontos de venda num raio de uns duzentos metros. Acrescenta que durante os fins-de-semana a facilidade aumenta “com postos móveis” a estarem em lugares de maior concentração de pessoas.

A questão da idade para a compra ou mesmo para a venda não tem sido um problema, com dados a evidenciarem que a cannabis é uma das drogas mais usadas e de fácil acesso. Falando com um estudante, o mesmo diz que, “muitas vezes, as vendas acontecem dentro da própria escola”. Dado que talvez não é novo, mas preocupante quando o combate se tem centrado nas escolas com campanhas de sensibilização.

“Penso que as pessoas têm demonstrado menos preocupação em relação ao uso de drogas. À noite, nas esquinas das zonas, se houver um grupo de jovens ou já usaram ou estão a preparar-se para a usar”, adianta um outro entrevistado. Neste sentido, diz que a luta contra as drogas não tem surtido o efeito desejado. E este entrevistado adianta que não é fácil combater o uso de drogas quando os jovens escolhem esse caminho de livre vontade.

Os postos de venda podem mudar mas a facilidade não. O único cuidado que se tem de ter é com a “babilon”, termo usado para designar as forças policias.

  1. SANDRA

    CAMARA MUNICIPAL E GOVERNO SÓ TEM INCENTIVADO OS JOVENS A CONSUMIR MAIS E MAIS.É SO VER A QUANTIDADE DE ALCOOL QUE CIRCULA NESSES DESFILES DE MENDINGA OU MELHOR DIZER ” MÁ DINGA”

  2. Sever

    Há planos delineados para o combate ao álcool? Como, e por quem? O que há é uma onde de propaganda. Mas ação não há

  3. Sever

    Há planos delineados para o combate ao álcool? Como, e por quem? O que há é uma onde de propaganda. Mas ação na prática é nula. É só propaganda.

  4. cidadao

    Tenhamos coragem de levar a discussão no parlamento, a proibição de consumo de bebidas alcoólicas na via pública e a obrigatoriedade de não estar visível aquando da compra. Juntar as demais leis que existem, mas que não sejam letra morta…

  5. Clínica de Recuperação, Clínica de Reabilitação. Precisando de ajuda em relação a Dependência Química? Podemos ajudar. Acesse: http://www.anjosdoresgate.com

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.