Ulisses Correia e Silva quer separar o partido do estado

10/01/2017 07:10 - Modificado em 10/01/2017 07:41

Depois de vencer as eleições internas do MpD, o líder do partido e Primeiro-Ministro de Cabo Verde está atento à Convenção do Movimento para a Democracia, onde serão efectuadas diversas alterações no estatuto do partido, entre elas, a acumulação de cargos de direcção e chefia da administração pública e partidárias, bem como a não participação nas listas nas eleições Legislativas e Autárquicas de pessoas que estiverem a desempenhar funções de chefia das administrações de empresas públicas.

“Pela primeira vez, um partido em Cabo Verde coloca estas incompatibilidades no estatuto”, diz UCS à RCV.

De acordo com UCS, já está em andamento uma comissão que está a preparar terreno para a realização de uma convenção que não será só electiva e estatutária, mas também um “grande momento de comunicação com o país, em relação àquilo que são as grandes orientações do partido para o futuro, tendo em conta a maior responsabilidade que o MpD tem actualmente por ser o partido que suporta o Governo e que detém a maior parte das Câmaras Municipais”, afirma Ulisses Correia e Silva.

A Convenção do Movimento para a Democracia está marcada para 03 e 04 de Fevereiro, com grandes alterações de fundo a nível do estatuto do partido. Como a criação do Secretário-Geral que, de acordo com o líder do partido, tomará as “rédeas” do mesmo e que garantirá a organização interna e articulação entre os diversos subsistemas do MpD e que será a primeira cara de embate político.

Nas listas para as eleições, as pessoas que estiverem a desempenhar funções de chefia nas administrações das empresas públicas não farão parte das listas.

Com estas alterações no estatuto do partido, UCS quer fazer a separação do Estado e do partido o que, conforme explica, não foi feito até agora e “queremos dar exemplo e uma nova atitude no exercício do poder da função pública e serviço público nacional”, conclui.

Em relação à sua reeleição, UCS ressaltou a participação dos militantes que responderam ao chamamento e cumpriram com a sua obrigação e direito de participarem democraticamente nas eleições, quer do Presidente, quer dos candidatos a delegados da convenção nacional.

  1. Atento

    Este anda completamente maluco…. Só se for separação para que os seus possa mamar bem mamado…fartos destes gajos, pior é que tenho de aturar este leviano….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.