Preso matou mulher e depois namorada durante visitas íntimas na prisão

9/01/2017 04:55 - Modificado em 9/01/2017 09:02
| Comentários fechados em Preso matou mulher e depois namorada durante visitas íntimas na prisão

O assassinato de uma mulher que fazia uma visita conjugal ao namorado num prisão argentina está a comover o país, pelos contornos trágicos da história.

Gabriel Herrera, condenado por roubo, cumpria pena numa prisão argentina em 2006 quando, durante uma visita íntima, enforcou a mulher com recurso a uma peça de roupa. Segundo o seu filho, que na altura tinha dez anos, Gabriel mostrou sangue-frio e até terá dito à sogra: “já matei a sua filha”.

Condenado a prisão perpétua, foi transferido de cadeia, mas os antecedentes não evitaram que voltasse a cometer um crime com contornos semelhantes.

Esta semana, durante uma visita íntima da atual namorada, de quem tem um filho de dois meses, apunhalou-a até à morte dentro da prisão de Villa Las Rosas. Poucos minutos depois de a mulher e criança terem entrado na cela, Herrera saiu com o bebé nos braços e confessou o crime aos guardas prisionais.

Agora com mais de 20 anos, o filho da primeira relação de Gabriel Herrera contou aos meios de comunicação argentinos que, apesar de não conhecer pessoalmente a namorada do pai, a tinha avisado pelo Facebook que ela era uma “pessoa doente”.

Sobre o caso, o jovem disse ao “Canal 9” que a situação o afetou muito, porque o fez recordar o crime que vitimou a sua mãe.

jn.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.