Júlio do Rosário: “Clubes têm de apostar forte na formação de atletas”

23/12/2016 04:00 - Modificado em 23/12/2016 04:19
| Comentários fechados em Júlio do Rosário: “Clubes têm de apostar forte na formação de atletas”

O Presidente da Associação de Futebol de São Vicente foi um dos integrantes no âmbito do Seminário promovido na Cidade da Praia com o propósito de trazer melhorias ao nível do futebol cabo-verdiano, com a implementação de base de um sistema de licenciamento de clubes com o intuito de participarem nas competições de clubes promovidos pela CAF.

Júlio do Rosário, abordado pelo NN, diz que “é aliciante mas é dificultoso para os Clubes de Cabo Verde devido às más condições financeiras, porque a CAF não apoia a FCF e, a vantagem dos Clubes começa a partir do momento em que entram na fase de grupos e recebem um montante que a CAF atribui devido aos direitos de transmissão dos jogos que vão arrecadando”.

Aponta ainda que em Cabo Verde temos outra dificuldade porque temos apenas dois Estádios certificados pela FIFA. São os casos do Estádio Municipal Adérito Sena em São Vicente e o Estádio Nacional situado na Cidade da Praia. Júlio faz uma alusão: “imagina se uma equipa de Santo Antão vence o Nacional de Futebol. Terá de disputar a prova da CAF em São Vicente. O mesmo se aplica a uma equipa da Brava que se vence, deverá jogar os jogos na Cidade da Praia, porque essas ilhas não têm condições”.

Realça que temos outra questão que é o custo suportado por uma equipa de Cabo Verde. Júlio afirma que houve pontos importantes no Seminário que pessoalmente defende para a Ilha de São Vicente que é a aposta na formação, “os Clubes têm de apostar forte na formação”. Segundo Júlio “há um custo em apostar na formação e ter o Clube bem identificado na FCF e ter os seus devidos direitos na formação do atleta”.

Aponta que “o Seminário foi muito bom e produtivo mas só que, para a nossa realidade, é complicado, ou seja, se recuarmos um pouco no tempo, os únicos Clubes que conseguiram participar na competições da CAF foram o Boavista da Praia e o Sporting da Praia e já lá vão alguns anos”.

Júlio diz que “legalmente, penso eu que a Federação e os Clubes não estavam a cem por cento, porque o licenciamento para a CAF tem um timing e a FCF estava atrasada porque na última Assembleia da Federação aprovámos o regulamento e, foi a partir da aprovação dos regulamentos que houve a possibilidade de Cabo Verde realizar este Seminário que já estava atrasado e que era para ser feito há quatro anos”. Cabo Verde foi um dos últimos países africanos a receber o Seminário porque como diz, “antes de Cabo Verde foi São Tomé e foi no mês passado”.

Sobre as questões dos patrocínios, o Presidente da Associação realça que “os Clubes e as Associações batem na mesma porta e vão buscar patrocínios nas mesmas Empresas e as Empresas já estão com muitas dificuldades”. Como diz, “é uma roda que vamos andando e lutando mas as dificuldades são muitas. As Associações passam por dificuldades, os Clubes também e no futuro esperamos trazer mais alegria e, que os Clubes possam participar na CAF para que não haja somente a Selecção e elevar o nosso futebol cada vez mais”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.