Exige-se mão pesada contra os produtores de grogue ilegal que usaram produtos cancerígenos

22/12/2016 08:17 - Modificado em 22/12/2016 08:17

Após a revelação de que a IGAE apreendeu aguardente produzida com substâncias cancerígenas, as reacções são a favor de uma “mão pesada” contra os produtores e alguns internautas pedem que estes sejam punidos pela justiça, uma vez que consideram que esse tipo de produto representa um risco para a saúde pública.

Este online ja contactou o IGAE para apurar onde foi apreendido o grogue que continha substâncias cancerígenas e quais as medidas que vão ser tomadas.Até registamos a indignação que tomou conta da rede social crioula .   

Os alertas são vários para o combate ao alcoolismo; as leis já foram implementadas em prol de uma aguardente produzida de acordo com as exigências da legislação e ainda existem as fiscalizações que tentam combater a má produção, porém, nas redes sociais lê-se: “Não será só a apreensão do veneno com pesadas penas para esses prevaricadores sem moral que envenenam até os próprios familiares só para arranjarem algum dinheiro”.

Isto após a IGAE ter apreendido grogue e, “as análises preliminares, acusarem compostos cancerígenos, assim como outros nocivos para a saúde, como o metanol e o cobre”, assegura o Inspector-geral da IGAE, Elisângelo Monteiro, que relembra a importância da realização dos testes ao “grogue” para que haja certezas sobre a sanidade do produto. Algumas pessoas pedem que sejam denunciados publicamente os “maus fabricantes do grogue e que haja mais do que advertências, multas e encerramentos dos “trapiches” e Avelino considera que a IGAE tem feito um bom trabalho no que respeita à fiscalização, mas “acho que está a proteger os fabricantes, em vez dos consumidores. Isto porque, precisam de saber qual é o grogue, para poderem não consumir e preservar a saúde. Ou a IGAE não tem a certeza do que está a dizer, tem medo de vir a consertar o erro, ou está a proteger o fabricante. Este que falsifica o produto deve ser prejudicado e não beneficiado”.

Ainda houve apreensão de grogue que estava a ser vendido a 40$00 (quarenta escudos) o litro e alguns questionam-se se este produto é feito com veneno devido ao preço. Perante estes factos, vários são os apelos para que as pessoas deixem de beber não só aguardente, mas também outras bebidas alcoólicas. “Um país em que em todas as esquinas se vendem bebidas alcoólicas, o grogue deve ser o mais consumido. Nota-se que em cada mercearia há pessoas a consumirem cálices de grogue ou até cálices de vinho tinto a um preço de 20$00”, diz Brenda que apela por uma maior intervenção do Estado de Cabo Verde no que ela considera um problema grave que assola o país. O alerta já foi emitido pelo médico José Sousa Santos, especialista em medicina interna que assegura que o alcoolismo em Cabo Verde é um assunto sério e devem-se tomar medidas urgentes, sendo considerado uma calamidade que assola o país.

Em São Vicente fomos reencaminhados para contactar o Inspector-Geral que reside na cidade da Praia, com quem iremos continuar a contactar para mais esclarecimentos. 

  1. Antonio

    “Mao pesada para os infractores do grogue”???
    A mao pesada devia-se era para os “CRIMINOSOS /DELINQUENTES” que asaltam e matam pessoas todos os dias.

  2. Revoltado

    Sr. Antonio,
    Hà muita maneira de matar e muitas vezes os inocentes são apanhados. P.e.: geralmente não bebo mas, para satisfazer um pedido, bebi (em Paris) um dedinho de grog que me levou à cama. Vim a saber depois que continha “aga d’bataria”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.