IGAE apreende grogue produzido com substâncias cancerígenas

20/12/2016 07:37 - Modificado em 20/12/2016 15:51

A Inspecção-Geral das Actividades Económicas (IGAE)  apreendeu grogue que na sua produção usou substâncias cancerígenas conforme os exames laboratoriais que foram realizadas.Também apreendeu grogue que estava ser vendido por 40 escudos o litro.   

A  aguardente apreendida não corresponde a exigência da lei, entre os quais a não existência de menções obrigatórias na rotulagem, visto que são produtos ilegais, mas o mais grave é que “nas análises preliminares acusaram compostos cancerígenos, assim como outros que são nocivos para a saúde, como Metanol e o cobre”. O Inspector-geral da IGAE, Elisângelo Monteiro, relembra da importância da realização dos testes ao “grogue” para que haja certezas sobre a sanidade do produto.

O Inspector-geral da IGAE afirma que a situação é crítica quando encontra-se no mercado um litro de  aguardente a 40$00 (quarenta escudos) e com este valor há uma acessibilidade ao grogue que “ associamos ao consumo precoce e abusivo, logo com as consequências nefastas para a saúde” assim sendo esta operação no final do ano é importante e com ênfase no álcool, frisa Elisângelo Monteiro. Este adianta que “após Dezembro de 2016, entramos no novo ano da produção da cana-de-açúcar, desta forma estamos a preparar o mercado para a recepção de produtos de qualidade e também com maior segurança para o consumidor” assegura o responsável da IGAE em entrevista à RCV.

  1. Hirmanio Cabral

    Uma vez comprovada a utilização de substâncias cancerígenas na sua produção, não há que se atender ao factor preço/ quantidade do grogue mas simplesmente denunciar às entidades competentes esse ato criminoso que atenta contra a saúde publica, começando por chamar o(s) boi(s) pelo(s) seu(s) nome(s).

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.