A “discriminação positiva” sobre o Carnaval gera confusão sobre a igualdade

19/12/2016 08:20 - Modificado em 19/12/2016 08:20
| Comentários fechados em A “discriminação positiva” sobre o Carnaval gera confusão sobre a igualdade

carnaval-2017A decisão do Governo de atribuir maior financiamento aos grupos carnavalescos das ilhas de São Nicolau e de São Vicente gera desagrado nos dinamizadores do Carnaval da cidade da Praia que garantem que se sentem discriminados. “A discriminação positiva” do Ministério da Cultura reúne apoiantes que aplaudem a medida e congratulam o Ministro Abraão Vicente pela coragem, mas há quem não apoia por considerar que a igualdade é para todos e, sem esta, não haverá evolução com as ilhas “detentoras da tradição da festa do Rei Momo”.

“Não podemos tratar de forma igual aquilo que é diferente. E não podemos aplicar os mesmos recursos e as mesmas políticas quando temos focos diferentes para cada região e para cada ilha. Por outro lado e apesar das diferenças de foco, também estamos a trabalhar noutros pacotes para apoiar o Carnaval noutros Municípios em parceria com as Câmaras Municipais”, assegura o Ministro da Cultura, Abraão Vicente, em prol da decisão executiva de atribuir maior financiamento ao Carnaval de São Vicente e São Nicolau. Há várias reacções nas redes sociais sobre este tema e Luci acredita que esta decisão é uma “discriminação positiva”, ou seja, não há mal em investir nas ilhas que gastam mais com o Carnaval, logo, a internauta não percebe a razão de tanta “politiquice” sobre esta medida.

Perante esta inovação governativa, Ana comenta que “espero que na hora de distribuir o orçamento para os projectos de desenvolvimento económico, o Governo aplique o mesmo critério! Ou seja, quem mais contribui para o PIB vai ter mais investimentos em infra-estruturas económicas, sociais, de saúde, etc. Que a discriminação não aconteça só “nas saburas” mas também no esforço dos que trabalham”. Neste sentido, há quem discorde e há quem concorde com o Ministério da Cultura. O Ministro Abraão Vicente relembra que as decisões do novo executivo são transparentes e adianta que em relação à Taxa do Turismo, o Governo “priorizou uma maior transferência de recursos para as ilhas onde há mais procura no sentido de se qualificar o turismo. Falamos do Sal e da Boavista”, logo, porque é que o Carnaval está a gerar tanta polémica? “Polémica só por partido político não serve ao país, mas muitas pessoas não sabem fazer outra coisa. Concordo a 100% com o que dizes, não se pode tratar de forma igual aquilo que é diferente! Podia falar deste tema (igualdade) por horas, mas enfim, polémica não resolve os problemas! São as Soluções que resolvem os problemas”, frisa Paola.

“Mais um político para reacender o bairrismo. O importante é apoiar a Cultura em todas as ilhas. Todas as manifestações culturais merecem a atenção do Governo. Que São Vicente e São Nicolau continuem a fazer um excelente Carnaval e que Santiago tenha também a oportunidade de ser cada vez melhor. Assim se constrói um país”, defende Dirce. Alguns acreditam que a decisão é discriminatória e “os santiaguenses não estão a reclamar porque São Vicente recebeu apoio, mas sim porque eles não receberam nada. O pouco que Santiago tem deveria ser valorizado e o apoio é para melhorar”, diz Borges.

Por outro lado, o conceito de igualdade está a gerar desconforto para os não apoiantes de Abraão Vicente e Lima comenta que “em termos de tratamento não podemos falar assim. Nós lutamos pela igualdade todos os dias e aparece um governante que fala assim? Estamos lixados porque nada é igual e daí vem o tratamento desigual”. Todavia, o que uns chamam de desigualdade, outros acreditam que se trata de uma “discriminação positiva” onde as outras ilhas não ficarão de fora no apoio carnavalesco, mas há um apoio às ilhas que conseguem fazer do Carnaval um produto turístico.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.