Pai desesperado pede que o MP intervenha para o bem da filha que tem sido assediada

16/12/2016 08:25 - Modificado em 16/12/2016 08:25

assedio-menorUm pai conta que a sua filha de 13 anos tem sido assediada e perseguida por um homem de 26 anos. A família da menina já fez pelo menos três queixas à Polícia Nacional e estas foram encaminhadas para o Ministério Público (MP). O pai está aflito porque a filha já não sai de casa e só vai para a escola acompanhada e também a vão buscar. Desta forma, o mesmo apela pela rapidez da justiça antes que aconteça o pior.

“O indivíduo em questão é enteado da minha ex-mulher. Conseguiu entrar no quarto da minha filha e tentou agarrá-la. A irmã de 8 anos chamou ajuda e ele fugiu. Foi assim que descobrimos que a nossa filha tem sido assediada e ameaçada por ele. Começámos a notar comportamentos estranhos nela, pedíamos para ir comprar alguma coisa na loja, ralhávamos com ela e começava a chorar do nada, mas não tínhamos a noção do que poderia estar por detrás desse comportamento numa miúda de 13 anos”, conta o pai. Este acrescenta que, neste momento, a filha já não mora na zona de Cruz João Évora para salvaguardar a criança e que o próprio tem sido alvo de perseguição por parte desse jovem.

O pai assegura que o suspeito de assédio sexual já tentou entrar na escola da filha disfarçado de servente, já empilhou pedras e garrafas em frente da sua casa, já perseguiu a sua irmã, já fez chamadas anónimas para o seu telemóvel e também já fez à sua ex-mulher ir parar ao hospital. A mesma relata que “ele pontapeou-me em frente de casa e fui para as urgências inconsciente. Ele já tentou agredir o pai e estamos com problemas sérios, porque ele está a tentar intimidar todos e inclusive ameaçou-nos de morte. Intimidou a minha filha e disse-lhe que se ela contasse alguma coisa iria ter consequências para a sua família”. Alguns moradores da zona confirmaram estas denúncias e referem que o homem “está terrível, tem provocado as pessoas. São denúncias desesperadas de uma família que está preocupada com a morosidade da justiça e o pai está preocupado com o desenrolar da situação que considera preocupante, uma vez que envolve uma menor que está a ‘viver’ acuada e com medo. Sendo assim, o pai apela ao MP urgência com receio que o jovem concretize as suas ameaças.

O pai da menor defende que o caso da filha é grave, por isso, deveria ter carácter urgente, porque se trata de uma menor que a justiça deve proteger. “A PN já não pode fazer nada porque a queixa já está no MP e temos de esperar que o pior aconteça?”, pergunta o pai.

  1. Francisco Andrade

    Onde está a comissão de direitos Humanos?

  2. Leitora

    Justiça ti t espera alguém morre k pes tma um posição ne? Es rapaz é um psicopata. Jal provoca um morto um vez ex ptal de cadeia por falta d provas, el ti ta bem provoca ot. Deus t acompanha es mnine e se família…mi sendo um familiar des mnine sera pum morre entom t morre es desgraçod! Depox es t dze k gente k t faze justiça k gente mon! onde justiça nes terra??? Se tinha justiça es psicopata k tava n cadeia???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.