Football Leaks: Cristiano recebe para assinar cromos, Bolotelli recebeu para não cuspir nas pessoas

8/12/2016 08:56 - Modificado em 8/12/2016 08:56
| Comentários fechados em Football Leaks: Cristiano recebe para assinar cromos, Bolotelli recebeu para não cuspir nas pessoas

topsecretAlém das acusações de fuga ao fisco que têm recaído sobre Cristiano Ronaldo, o Football Leaks também revelou algumas das cláusulas secretas mais inesperadas dos contratos de jogadores de futebol. Cláusulas que, por exemplo, premeiam Balotelli por não cuspir durante os jogos e proíbem Van der Vaart de usar sapatilhas vermelhas.

Segundo o Football Leaks, que revela estas informações através dos jornais Der Spiegel e El Mundo, a empresa Panini América prometeu no final de 2013 pagar 50 mil dólares (46 mil euros) a Neymar se ele assinasse 600 cromos. Ou seja, o jogador brasileiro recebeu cerca de 77 euros por cromo assinado.

Cristiano Ronaldo subiu a fasquia e recebeu em 2015 da mesma empresa 175 mil dólares (162 mil euros) para assinar mil cromos e quatro edições de colecionador. O internacional português recebeu 175 dólares, ou seja, 162 euros, por cromo.

Ronaldo tem acordos de confidencialidade “até 70 anos depois de morrer

O holandês Rafael Van der Vaart assinou em 2015 um contrato com o Betis que proibia o jogador de usar qualquer calçado desportivo que “tivesse a cor vermelha”. A cor do rival da equipa, o Sevilha Futbol Club, foi banida.

O contrato atribuía a Van der Vaart 14 pagamentos mensais de 114.428 euros cada e se o futebolista jogasse 75 partidas pelo clube recebia mais 279.400 euros. Se o clube se apurasse para a Liga dos Campeões, o valor do bónus também seria de 279.400 euros.

Mario Balotelli assinou um contrato com o Liverpool em 2014 em que o clube inglês lhe oferecia 85 mil libras (100 mil euros) por semana, 150 mil libras (177 mil euros) por cada cinco jogos, cinco mil libras (seis mil euros) por cada golo e até meio milhão de libras se acabasse a temporada como melhor marcador da Liga Inglesa.

O Liverpool concordou ainda em dar um bónus de um milhão de libras (cerca de 1.180.000 euros) se Balotelli não fosse “expulso mais de três vezes por comportamento violento”, não cuspisse sobre qualquer outra pessoa e não utilizasse “linguagem e gestos ofensivos”.

Thomas Vermaelen, agora no AS Roma, prometeu no seu contrato com o Barcelona em 2014 “fazer o máximo para se integrar na sociedade catalã”, o que incluía aprender a falar catalão. Em compensação, o jogador recebeu meio milhão de euros pela transferência, mais de quatro milhões de euros de salário e bónus. Um dos bónus dava ao jogador 100 mil euros anuais para permitir que a equipa técnica o colocasse em “qualquer posição”, não o alinhasse no 11 titular e o usasse para outras atividades desportivas.

O Paris Saint Germain pagou em 2012 oito milhões de euros por temporada ao Milan pela transferência do brasileiro Thiago Silva. Além disso, o clube pagou 2,5 milhões de euros que o jogador devia ao fisco italiano.

A ida de Sergio Agüero do Atlético para o Manchester City por 36 milhões de euros em 2011 tem várias pontas soltas. Até um máximo de dois milhões de euros, o clube espanhol cobrou 250 mil euros por cada 15 golos e 250 mil euros por cada jogo do argentino.

O Atlético ganhou ainda um milhão de euros por cada título da Liga Inglesa, um em 2011/2012 e outros em 2013/2014.

DN.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.