Abusou sexualmente de uma filha e ficou com pena suspensão: agora vai ser julgado por abusar de outra

7/12/2016 07:26 - Modificado em 7/12/2016 07:26

abuso-sexual-criançaO 2º Juízo da Comarca de São Vicente procedeu, esta terça-feira, ao julgamento de um homem com mais de trinta anos acusado de violação sexual contra a própria filha menor. Não se trata do primeiro caso de violação perpetuado pelo arguido. Em Julho de 2015, o agressor foi condenado a uma pena suspensa de três anos pela prática do mesmo crime contra uma outra filha menor.

 

Segundo a acusação o   agressor abusava sexualmente das suas filhas menores desde 2014. O abuso era realizado à noite quando a mãe se encontrava a dormir. O pai da menor aproveitava o momento para se dirigir ao quarto das suas filhas menores, sem que a mãe se apercebesse.

Este é o segundo caso em que o arguido é acusado de violar sexualmente as filhas. Em Julho de 2015 foi condenado a uma pena suspensa de três anos por ter abusado sexualmente da filha na altura com 8 anos.

Após ter conhecimento da prática do crime contra uma outra irmã da vítima, a mãe veio a descobrir que também a filha menor teria sido abusada sexualmente pelo próprio progenitor. Tudo veio à tona depois de uma das vítimas ter comentado “timidamente” com uma irmã mais velha que o “pai lhe pediu para não dizer nada a ninguém, principalmente à mãe”.

Após a denúncia, a Polícia Judiciária solicitou exames ginecológicos que comprovaram que a criança estava a ser abusada sexualmente, pelo que a mãe da menor ficou a aguardar que fosse chamada a depor.

Após a denúncia, as vítimas foram encaminhadas ao ICCA onde estiveram a receber acompanhamento psicológico.

Contudo,  o caso não chegou ao Tribunal por extravio de documentos. Volvido quase um ano, a mãe veio a apresentar uma segunda queixa à Procuradoria que mandou averiguar o que se passou.

A criança apresentava infecções genitais de forma frequente e diz que foi alertada por uma médica ginecologista, contudo, não  valorou  o aviso porque acreditava não haver qualquer possibilidade uma vez que a filha só saía para visitar o pai e os irmãos.

Volvidos mais de dois anos do acontecimento, o agressor veio a ser julgado pela segunda vez por mais este crime cuja prática também negou. O desfecho deste caso será conhecido no dia 19 de Dezembro.

 

  1. Merecia estar na cadeia antes de acontecer com a 2ª filha. Este Pai então é doente.

  2. Nita Fortes

    extravio de documentos ???
    O que é isso? Os responsàveis por esta neglogência devem ser também punidos com severidade.
    Onde pàra a protecção infantil? Para que servem esses profissionais? CASTIGO !!!

  3. Augusto Galina

    Não se pode esperar grande coisa num pais onde os economistas ocupam-se de criar linguas e não do dinheiro publico. Onde as universidades são muitos e não têm capacidade. Està tudo torto e, com que nos governa, està irremediavelmente roto

  4. jose eduardo

    esta noticia mostra a a vergonha do sistema judicial em cabo verde . U filho da P… viola uma filha , vai a julgamento e o juiz da-lhe pena suspensa. Volta para casa e viola outra filha . E agora sr.Juiz ? que deixou o monstro violar de novo ? Agora veja lá se não lhe aplica TIR para que o filho da P viole outra inocente

  5. Dannie Santos

    Extravio de documentos?! Como isso é possível?! Só podem estar a”brincar”!

  6. Ana Verónia

    Mas esse juiz também não pensou. Não consigo perceber como um pai acusado d abusar d uma riança d 8 aninhos tenha sido posto em liberdade meu Deus.!!!!Como alguém disse por aqui se calhar obteve o diploma pelo facebbok.

  7. António

    Houve ma justiça desde o primeiro incidente. Isto é , se tivesse sido encarcerrado no primeiro caso não aconteceria esse segundo caso. Esse violador tmb das próprias filhas deveria estar sendo acompanhado por um psicólogo. pq a meu ver o mesmo padece de alguma patologia psíquica.

  8. Valdemar

    Essas pessoas que abusam das suas próprias filhas e filhas dos outros são autênticos monstros. É necessário Elevar a pena para 30 anos para esses tipos de crimes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.