Santo Antão: José António Lopes Chantre sonha um dia ser Árbitro Internacional

6/12/2016 08:32 - Modificado em 6/12/2016 08:32
| Comentários fechados em Santo Antão: José António Lopes Chantre sonha um dia ser Árbitro Internacional

jose-chantreJosé António Lopes Chantre, 29 anos de idade, é árbitro desde a época 2014/2015 onde participou no seu primeiro jogo oficial, jogo entre o Solpontense e o Foguetões. O grande sonho do árbitro é um dia ser árbitro internacional.

 

“O meu maior sonho é ser árbitro internacional mas não estou obcecado com isso. Se algum dia acontecer, será com toda a naturalidade. Sei que tenho condições físicas e técnicas para conseguir realizar o meu sonho”, afirma José Chantre.

José Chantre sempre quis ser jogador de futebol mas, acabou por ser Árbitro o que para ele foi uma possibilidade para ficar ligado ao desporto, pois o árbitro fica dentro do campo.

“Quando era mais novo, queria ser jogador de futebol mas nem sempre conseguia conciliar os estudos com o desporto. Entretanto, não tinha tempo para treinar porque ao mesmo tempo tinha de fazer os trabalhos de grupo e estudar. Com o passar do tempo, vi na arbitragem a oportunidade de estar ligado ao desporto e assim estaria dentro do campo”, disse.

José Chantre, com a sua dedicação e esforço, logo no primeiro ano foi distinguido como um dos melhores árbitros da sua região o que para ele é muito satisfatório.

“É sempre satisfatório quando no primeiro ano és distinguido como um dos melhores da tua região. Isso deu-me motivação para continuar a treinar e assim estar melhor preparado fisicamente para os jogos. Uma grande vitória para um árbitro é quando tens a consciência que deste o teu melhor e isso é reconhecido por todas as partes envolvidas”, frisa.

“A minha primeira época foi marcante porque fiz muitos jogos oficiais na minha região desportiva como o Campeonato Nacional de Futebol Mindelense/ Sal Rei e estive na formação de árbitros de elite de Cabo Verde durante 2 anos consecutivos: foi a minha melhor conquista como árbitro até agora. Estar na formação de árbitros de elite de Cabo Verde dois anos consecutivos e passar tranquilamente nos testes, dá-me confiança e ânimo para continuar a treinar para que no próximo ano, se for escolhido, possa continuar a minha progressão”.

Um dos maiores objectivos do árbitro é continuar a ajudar Santo Antão e Cabo Verde a crescer no futebol e na arbitragem.

“Os objectivos aparecem gradualmente na arbitragem e, neste momento, o meu objectivo é continuar a ajudar Santo Antão e Cabo Verde a crescerem no futebol e na arbitragem. Temos tido, ao longo dos tempos, bons árbitros e quero fazer parte deste lote”.

José Chantre deixa um agradecimento especial a todos os que, de uma forma ou de outra, contribuíram para o seu sucesso até agora.

“Devo agradecer ao Manuel Duarte, rei da arbitragem em Cabo Verde, pelos conhecimentos transmitidos na formação de arbitragem e aos instrutores físicos e técnicos que nestes 2 últimos anos me permitiram evoluir ainda mais. Ao Osvaldo Delgado Lopes, antigo Presidente do Conselho Regional de Arbitragem pelo apoio e por acreditar no nosso potencial (colegas de formação). Pelas críticas construtivas passadas nas reuniões. À minha família e amigos que sempre me apoiaram. Ao melhor árbitro de Cabo Verde, para mim, Nelson Lopes, pelos conselhos e pela amizade”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.