Direcção do liceu Horace Silver pede aos alunos para não interferirem no processo

1/12/2016 08:05 - Modificado em 1/12/2016 08:05

horace-silverA direcção da Escola Secundária Horace Silver na ilha do Maio, apela à serenidade por parte dos alunos que manifestaram contra a prisão do professor acusado de violar uma aluna menor. Iluzia Neves, Directora desta instituição de ensino, pede a não interferência dos alunos no processo que envolve o professor  Filomeno, pois  o caso está a ser tratado em instâncias próprias.

 

O Tribunal da ilha do Maio decretou prisão preventiva ao professor Filomeno, docente na Escola Horace Silva, acusado de agressão sexual contra uma aluna. Após tomar conhecimento da medida de coação, um grupo de alunos manifestou contra a prisão do docente e pediu a libertação do professor que consideram “amigo, companheiro, pessoa que incentiva os alunos a alcançar os objectivos”.

A Direcção da escola faz saber que não teve conhecimento do acto e que apesar de mostrar uma posição neutra em relação à manifestação, afirma ser contra a utilização do logotipo da escola na manifestação. “Realmente a escola ficou triste pela utilização do uniforme sem conhecimento”, assegura a Directora, Iluzia Neves.

Contudo, a escola apela à serenidade dos alunos que manifestaram contra a prisão do professor. Iluzia Neves, Directora desta instituição de ensino, pede a não interferência dos alunos no processo que envolve Filomeno, pois acredita que o caso está a ser tratado em instâncias próprias.

O acto de manifestação dos alunos suscitou inquietação por parte da sociedade que censurou o comportamento e reagiu às notícias veiculadas. “Esta manifestação é absurda e mostra um elevado grau de inconsciência e desconhecimento das leis e das normas morais que devem reger um estabelecimento de ensino”.

“A participação nesta “manifestação” é prova de uma falta de educação para a cidadania. Salvaguardando a presunção de inocência, até prova contrária, o que este “professor” fez é crime. Que justiça seja feita e que os jovens sejam mais bem-educados”.

A internauta Aldina Silva considerou que “enquanto existir na nossa sociedade a cultura de culpabilização da vítima, será difícil a mudança de comportamentos. Neste caso, não importa o comportamento da estudante menor. Espera-se que um professor tenha discernimento e bom senso para decidir o certo, mesmo que seja alvo de tentativas por parte dos alunos”.

Maria diz: “um professor pode ser o melhor do mundo, pedagogicamente ou quanto à competência nas matérias, mas tem um problema psicológico que o leva a envolver-se com alunas menores, o que tem de ser denunciado e sancionado pelas autoridades competentes”.

O suposto agressor encontra-se em prisão preventiva desde o dia 17 do corrente mês, isto após ter sido suspenso pelo Ministério da Educação. O caso remonta ao ano passado, mas só veio à tona através de uma denúncia feita pela mãe da menor que aproveitou o lançamento do Livro “Grito no Silêncio – Pedofilia, Abuso Sexual e Sociedade Cabo-verdiana”, para comunicar o problema junto da Ministra da Educação.

 

 

 

 

 

 

  1. Lucilia

    Independentemente da aluna ter sido “provocadora”, o Professor, como adulto que é deveria ter o bom senso e colocar esta aluna no seu devido lugar. Por isso, caso se comprovar a violação, ele é sempre o culpado.

    Estes alunos e pais que participaram na manifestação demonstraram mais uma vez a falta de inteligência. Estes pais deveria ter vergonha na cara

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.