MpD considera que foi a gestão “camarada” do PAICV que arruinou a TACV

25/11/2016 08:27 - Modificado em 25/11/2016 08:58

tacvA TACV esteve no centro das atenções no Parlamento. A situação atual e o futuro da empresa esteve presente numa intervenção política do MpD, e nas questões levantadas pela bancada do PAICV ao Governo. Foram três as perguntas que o PAICV fez ao Governo: “Qual a vossa solução para a TACV? O Governo vai defender a liquidação da TACV na reunião do grupo de apoio orçamental? Vão despedir ou não pessoal da TACV?”

Em resposta as questões do PAICV o Ministro das Finanças, Olavo Correia, afirmou que “o Governo nunca assumiu que a solução para a TACV é a liquidação. Parece que o PAICV quer a liquidação da empresa”. E acrescenta que estão a “trabalhar na sua estruturação e redução dos custos e encontrar os parceiros que possam viabilizar a operação”. E acrescenta “não pode escamotear a verdade sobre a empresa, mas, não quer dizer que o Governo não está comprometido com a TACV”.

Para a Bancada do MpD, durante intervenção política, assumiu que a situação da empresa é preocupante, e que a culpa “é exclusivamente do PAICV”. Isto segundo a bancada o Governo anterior  “revelou irresponsável e incompetente na gestão da empresa”. E umas decisões que diz não ter beneficiado a empresa foi a estratégia de abordar o mercado internacional de África “sem um estudo prévio” com um prejuízo de mais de vinte mil contos. a qual junta a mudança de frota de aviões por parte da TACV. “O Governo fez então tábua rasa aos vários relatórios do grupo apoio orçamental” para uma mudança de estratégia com a empresa.

A bancada do PAICV e da UCID não concordaram com a bancada do MpD em relação a postura do Governo em relação a TACV, sendo que de antemão a situação já era conhecida.  

Para Janira Hoffer Almada, líder da bancada do PAICV; “é estranho que hoje o MpD venha dizer que encontrou a companhia num estado de calamidade, isto para, para tentar justificar ou retardar as suas soluções”. E a preocupação da bancada, segundo sua líder, é com as centenas de pessoas que dependem da empresa.

“Despedir seria o caminho mais fácil, mas o PAICV não quis optar por este caminho. Como já anunciou que vai despedir, e como não querem assumir que vão despedir por opção política” o MpD quer colocar as culpas no PAICV, como argumentou Janira Hoffer Almada.

A UCID não mostra satisfeito com as justificações que o Governo tem apresentado sobre a situação da empresa. “Não concordamos, de maneira nenhuma, com justificação que não estão a fazer isto aquilo que deviriam porque estão a tapar os buracos. Estes buracos eram conhecidos, a gestão danosa era conhecida. E a UCID não aceita esta desculpa porque era uma situação conhecida, e disse que tinha as soluções para estes problemas”.

E ainda o líder da UCID, António Monteiro, vai mais longe ao afirmar que sabendo que a gestão foi danosa e má, sublinha que alguém precisa ser responsabilizado. “E exigimos que isso seja feito para que este país possa entrar na normalidade, e as pessoas sejam responsabilizados pelos seus actos políticos.

  1. Atento

    País entrar na normalidade? shiiii… está complicdado….com este bando de corruptos…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.