Governo diz que fundo de risco não irá ser suportado pelas despesas do Estado

23/11/2016 08:10 - Modificado em 23/11/2016 08:10

olavocorreiaO segundo dia de debate do Orçamento de Estado para 2017 no Parlamento, na Cidade da Praia, ficou marcado uma vez mais pela troca de acusações políticas entre o MpD e o PAICV, com o Primeiro-Ministro questionado sobre o Fundo de Capital de Risco pelo deputado do PAICV, Carlos Delgado, sobre as modalidades de constituição do tal fundo, bem como será suportado. Ulisses Correia e Silva afirmou que o fundo não é apenas um enunciado, adiantando que já existe uma proposta de lei a ser trabalhada no sentido de mobilização de recursos.

 

Correia e Silva diz que a constituição do capital do fundo não vai ser através das despesas públicas e, por isso, não está inscrito nos mapas do OE. “Baseia-se em políticas que suportam o Orçamento”.

“Vai ser um fundo com cinco milhões de dólares. E não será financiado através do Orçamento de Estado. O que está no OE são políticas de financiamento que vão levar à criação do Fundo de Garantia de Soberania e Fundo Capital”, explica o governante.

O Fundo de Capital de Risco e Garantia, tem como objectivo permitir que os empresários e investidores possam ultrapassar as dificuldades de fundo de capital havendo uma participação na gestão até que venham a ter autonomia suficiente para andarem com os seus próprios pés.

  1. Atento

    Ou seja trocando por outras palavras, vai ser mais um para contar histórias… báaaaaaaaaa… mas também eles fazem tudo de diferente… são cheios de paradigmas…. é outro level….. a única coisa que não conseguem descortinar … é que estão completamente perdidos com a governação deste país…..estão todos famintos isso sim…

  2. COCULUCHO

    OUTRO FUNDO QUE SÓ IRÁ FICAR NA BOA INTENÇÃO; FUNDO SEM FUNDO

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.