” Ninguém deve julgar a mãe por um acto de desespero”

18/11/2016 08:38 - Modificado em 18/11/2016 10:14

babyO recém-nascido abandonado numa varanda na zona de Monte, em São Vicente, está bem de saúde.  Uma sobrinha das pessoas que encontraram o bebé, apela nas redes sociais para que   mãe apareça, pois  ninguém a quer julgar por um acto que considera de desespero total.

 

“Esta criança foi abandonada na porta da nossa casa, não sei porque é que a mãe dela fez isto. Não te vou julgar “mãe” porque eu não consigo colocar-me no teu lugar, mas a única coisa que eu te queria dizer é: dá a cara, justifica o teu motivo e, mesmo com as dificuldades que possas ter, luta pelo teu filho, porque filho é bênção de Deus é a coisa mais linda que uma pessoa pode ganhar na vida (…)”, escreve  nas redes sociais. O NN sabe que o bebé está bem e que o menino é saudável e forte.

Todavia, há o apelo para que a mãe apareça, adiantando que não consegue imaginar o desespero da mesma por ter feito tal acto e garante que “prometo que te ajudarei no que for preciso. Até seria a madrinha dessa criança se tu quisesses, mas vai buscar a tua criança no hospital, luta porque o que nos pertence são os nossos filhos. Eu tenho um rapaz e não abro mão dele por nada deste mundo porque ele é a minha vida, meu chão, meu escudo ou seja, meu tudo, tudo nessa vida”lê-se no desabafo da internauta.

bebe-hbsA mesma não julga a mãe que abandonou o recém-nascido à porta da casa dos tios e diz que “ninguém tem o direito de julgar ninguém mesmo quando achamos que poderíamos fazer melhor, mas lembra que nada é impossível (…). Vai buscar o teu filho, vai por favor pensa nisso”. Pede ainda para que as pessoas sejam humildes e tentem perceber o motivo que levou uma mãe a fazer isso e acredita que esta terá uma razão, um porquê atrás dos abandono do filho.

“Não estou a favor nem contra esta mãe. Quero entender esse sofrimento. Se não sou a favor e nem quero estar contra ti, quem tiver a ler as minhas palavras um obrigada e para a mãe desse bebé lindo quero que saibas que esse é o meu sentimento por ti porque eu também sou mãe e não gostaria que faltasse nada ao meu filho e é por isso que luto todos os dias por ele, por isso, luta tu também pelo teu, porque nunca vai faltar nada para o bebé e nem sono para ti.

O recém-nascido foi encontrado na varanda de uma casa na zona de Monte em São Vicente. O bebé terá sido colocado nessa entrada e por volta das 21h, um sobrinho que entrou em casa questionou se haviam colocado algo  na varanda, porque o bebé estava vestido, enrolado num pano branco e deitado num pedaço de cartão e não se notava a criança. Os tios saíram para verificar e foi nesse momento que verificaram que era um recém-nascido. Chamaram de imediato a polícia que veio e levou a criança para o HBS, adianta um dos moradores que fez a ligação para PN.

 

Fotos facebook

rectificado às 10h

  1. Nita Fortes

    A criança foi exposta, devidamente agasalhada, num lugar acessivel. Estamos perante um acto de desespero e NUNCA uma tentativa de assassinato. Portanto julguemos a miséria e não a mãe que não pode criar o seu filho. Se tivessemos outra politica ou quem ajudasse sem qualquer reserva, a criança nasceria e seria colhida de forma a ser adoptada.
    Pensem nisso, nesses sistema que beneficia as desesperadas e a as familias carentes.

  2. Eu entendo o apelo da familia que encontrou essas crianca. MAs lembra como mae, ela deve ter pensado muito bem antes de tomar essa decisao. E ela nao podendo e sabendo que nao pode dar a essa crianca o que essa crianca necessita. Eu acho que ela fez o que era melhor, e seria agora o ICCA tomar conta dessa crianca, abrir um adocao para que essa crianca possa ter o que necessita. Neste momento eu acho que o apelo nao vai ser comprendida, pode ser que essa mae esta pasando tambem por Depressao post Parto. O hospital talvez possa saber ou o PMI quais erams as maes que estiveram gravidas nesta epoca e possam averiguar quem e a mae, mas acho que nao seria por ai a melhor solucao. Forca e coragem a essa familia que o encontrou pq necessitam tambem ajuda.

  3. anete Vital

    Se fosse inquiridor do caso faria um esforço danado para tratar, primeiramente, da saùde da desesperada que não cometeu infanticida. Ele deve ter pensava nessa solução porque sabia que lhe era impossivel comprar o minimo (leite, medicamentos, roupa). Ademais, ele deve estar necessitando de ajuda material, fisica e psicolôgica.
    A criança està salva; salvemos a desesperada.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.