Peões obrigam viaturas a cederem passagem nos STOPs

16/04/2012 01:13 - Modificado em 16/04/2012 12:03
| Comentários fechados em Peões obrigam viaturas a cederem passagem nos STOPs

O desacato as regras de trânsito faz parte da rotina de muitas pessoas na ilha de São Vicente. Nesta ilha nem todos fazem travessias na estrada através das passadeiras ou nas pontes metálicas existentes nalgumas zonas. Por outro lado há aqueles que trocam os passeios pelas estradas asfaltadas, ou obrigam os condutores a ceder-lhes passagem nos locais com sinais STOP.

As regras de trânsito obrigam os condutores a fazer uma condução segura que não ponha em risco a vida dos pedestres. Por outro lado aos peões também têm obrigação de respeitar as regras de trânsito. Só que a grande maioria não conhece os sinais, nem as regras. Há pedestres que avançam à frente dos carros nos STOP porque pensam que este sinal obriga os carros a cederem passagem as pessoas.

Porém estas situações têm deixado alguns condutores com os nervos a flor da pele. Isto quando os peões ignoram as passadeiras e metem-se a frente dos carros. Ou invés de atravessarem nas pontes metálicas existentes nalgumas zonas, optam por fazer a travessia pela estrada.

Indignação

Para alguns condutores falta uma racionalização das pessoas sobre os seus deveres como peões. Porque nota-se uma cultura de indisciplina das pessoas face as regras de trânsito nas ruas de Mindelo.

Segundo o taxista, José Manuel “por preguiça as pessoas não usam as passadeiras ou as pontes de travessia para transitar de um local para outro. Pensam que são donos das vias de trânsito, e são muitos os casos de pessoas que caminham pela estrada normalmente esquecendo que o lugar dos peões é no passeio”.

Fazer uma curva e encontrar pessoas paradas na estrada é algo que tem tanto de banal como de perigoso. Encontrar peões que ocupam as vias como se fossem carros é normal. Tão normal como os cães que escolhem as estradas para dormir.

João Pereira considera que o pedestre sãovicentino é o principal problema dos condutores nas vias públicas. Coutinho afirma que “os costumes dos pedestres suprimiu as regras de trânsito, porque alguns mindelenses invés de caminhar nos passeios entram no asfalto e nós condutores é que temos que nos desviar deles. Mas a situação agrava-se quando alguns obrigam-nos a ceder-lhes passagem nos locais com sinais STOP”.

Porém há peões que dão o braço a torcer referindo que nem todos respeitam as regras de trânsito. Para alguns cidadãos a percentagem dos cumpridores não ultrapassa os 45%. Mas acrescentam que neste momento os costumes das pessoas prevalecem sobre as regras de trânsito. Por isso cabe ao cidadão consciencializar-se sobre os perigos e mudar a sua atitude no seu percurso pelas estradas.

A guerra entre os peões e os condutores em São Vicente vai durar até que as autoridades tomem medidas. E podia-se começar pela educação rodoviária nas escolas e campanhas de sensibilização. Não falamos em multas por que a Policia de Trânsito em São Vicente não multa nem carros, fará peões. O que assusta é nem as mortes frequentes de peões têm despertado os responsáveis por essa verdadeira guerra entre peões e condutores que se dá todos os dias nos asfaltos de São Vicente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.