“Namoro” entre professores e alunas: um crime tolerado

17/11/2016 08:32 - Modificado em 17/11/2016 08:32

professorO número de casos amorosos entre professores e alunas tende a aumentar em diferentes escolas secundárias do país, porém os relacionamentos sobrevivem às escondidas. Na última semana, pelo menos dois casos foram divulgados pela comunicação social, tendo sido dois dos professores suspensos por suspeitas de abuso sexual contra alunas. Depois das investigações, vários outros casos poderão vir à tona tendo em conta as denuncias anónimas que foram feitas.

 

São frequentes os casos de envolvimento entre professores e alunas dentro e fora dos estabelecimentos de ensino. As situações muitas vezes são do conhecimento das direcções das escolas mas nem sempre medidas são tomadas a fim de pôr cobro à essa situação que noutros ganhou estatuto de normalidade.

Durante a abordagem feita pelo NN em diferentes escolas secundárias da cidade da Praia, constatámos que os episódios são mais frequentes do que pesávamos. Sobre anonimato, alunas e alunos dão conta de envolvimentos entre algumas alunas e professores.

O relacionamento não é do conhecimento de todos tendo em conta as consequências que advêm caso vier a ser descoberto. Mas muitas vezes, a situação toma proporções fugindo do controlo dos próprios envolvidos.

“Por conta da minha curiosidade segui uma colega de quem desconfiava que tinha um relacionamento com o meu professor e consegui matar a minha curiosidade confirmando as suspeitas”. Na escola Pedro Gomes, uma aluna confirma ter conhecimento de colegas com professores noutras escolas e que a situação é do conhecimento dos pais. Contudo, namoram às escondidas.

Questionada sobre as consequências deste fenómeno, a entrevistada diz estar ciente dos problemas que podem trazer um relacionamento entre uma pessoa adulta e uma menor. “Tratando-se de professores, acho ser uma situação constrangedora, pois um professor deve ser um amigo, pai ou padrinho. O relacionamento poderá trazer vários problemas tanto para o docente como para a aluna que até pode ficar grávida e não conseguir continuar os estudos, enquanto que o professor pode ser expulso da escola”. E convém  dizer que a lei considera esses “namoros  “ crime : abuso sexual de menor

Os casos de relacionamento entre docentes e alunas têm sido bastante frequentes. São várias as situações em que os parceiros formaram casal e constituíram famílias.

Os professores entrevistados mostram ter conhecimento de alguns casos isolados e acreditam que medidas sérias devem ser tomadas a fim de sanar o problema, pois “nunca devem ser permitidas situações amorosas entre professores e alunos porque as consequências desses actos são desastrosas para os envolvidos”.

O director da Escola Secundária Cesaltina Ramos em Achada Santo António, cidade da Praia, está suspenso das funções por alegado assédio sexual contra uma aluna do 9º ano. O caso está sob investigação. Ainda na ilha do Maio, um outro docente está a ser acusado de abusar sexualmente de uma aluna menor na Escola Horace Silver.

Face a esta situação, os internautas apelam por uma “mão pesada” contra os prevaricadores e ainda sugerem que sejam feitas inspecções regularmente nas escolas do país a fim de combater o abuso sexual.

 

  1. Austelino

    Por favor solicito o NN, a investigar e denunciar a atual direção do LICEU AMILCAR CABRAL- ASSOMADA. São professores a entrarem e saírem com alunas constantemente da pensão MORANCI.

  2. bom senso

    É nisso que dá . De há alguns anos para cá os inspetores da educação trocaram o calor das escolas pelo Ar condicionado dos Gabinetes. Notou-se claramente uma grande ausência dos inspetores nas escolas. No tempo em que eu era dirigente local da educação havia até a figura de inspetores locais ou concelhios. inspetores à parte, a verdade é que esse fenómeno deve ser motivo de repúdio e denúncia por parte de todos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.