Sal: Situação do lixo preocupa Delegado de Saúde

10/11/2016 08:32 - Modificado em 10/11/2016 08:32
| Comentários fechados em Sal: Situação do lixo preocupa Delegado de Saúde

delegadosaude_salO Delegado de Saúde do Sal diz-se preocupado com o problema do lixo na ilha e promete trabalhar juntamente com outras forças no sentido de ajudar a população a mudar o seu comportamento em relação ao lixo.

 

Há cerca de três meses na ilha, José Rui Moreira disse, em entrevista à Inforpress, que uma das grandes preocupações tem a ver com a questão do saneamento no Sal, já que a ilha está rodeada de lixo por tudo quanto é lado, prometendo apoiar a Câmara nesta luta.

“As pessoas têm que mudar de mentalidade em relação aos resíduos. Deitam lixo fora dos contentores, no chão, em qualquer sítio. É difícil para qualquer Câmara do mundo lidar ou combater esse tipo de situação”, acentuou, reconhecendo de facto, a dificuldade da empresa de limpeza urbana em fazer o saneamento nesta ilha.

Contando também com o apoio dos meios de comunicação social, das escolas, de toda a sociedade, de grupos e de ONG, o novel responsável da saúde local quer tentar, através de palestras e sensibilização, convencer as pessoas no sentido de mudarem o seu comportamento em relação ao lixo, a reservarem ou colocarem os detritos em sítios apropriados e não como calha.

“Indiscutivelmente, a situação do lixo é um dos problemas que coloca em risco a saúde pública não só porque cria mosquitos mas também moscas, um vector mecânico de muitas outras coisas. E, quanto mais moscas há, mais possibilidade de transmissão de doenças há”, alertou o médico.

“Numa volta à cintura de Espargos e à cidade de Santa Maria, fiquei extremamente triste por ver tanta imundície espalhada por tudo quanto é lado. A situação é realmente caótica”, lamentou.

Perante a problemática, José Rui Moreira reitera que essa situação não é provocada apenas pela falta de viaturas para fazer a recolha do lixo urbano mas, particularmente, pelo comportamento das pessoas que devem cuidar do seu lixo, exercer a cidadania.

Tendo em consideração que o aumento da população e o crescimento das cidades criam sérios problemas ambientais, consequentemente, torna-se necessário criar políticas públicas para tentar suavizar a degradação ambiental e o lixo urbano.

Porém, o Delegado de Saúde conclui dizendo que o lixo urbano é um problema social e da responsabilidade de todos.

“São necessárias acções colectivas junto à população que, por sua vez, deve ter consciência da problemática ambiental causada pelo excesso de resíduos sólidos produzidos no Município”, frisou.

Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.