GAO dá ultimato ao governo: “situação da TACV é insustentável e poderá pôr em causa o financiamento ao país”

10/11/2016 08:24 - Modificado em 10/11/2016 08:24

tacvJosé Manuel Pinto Teixeira, coordenador do Grupo de Apoio Orçamental (GAO) e representante da União Europeia em Cabo Verde considerou  que a situação da TACV  é insustentável e ”  poderá pôr em causa o financiamento ao país de alguns parceiros do Grupo de Apoio Orçamental (GAO)”. Considerou que o problema da transportadora de bandeira  é ” crónico “. Lembrou  que o ” O primeiro plano de reestruturação da TACV é de 2003 e o que constatamos é que não é mais sustentável continuar com esta situação”.  

 

José Manuel Pinto Teixeira avisou  que, se não for encontrada uma solução ” poderá comprometer o apoio de alguns parceiros do grupo orçamental, fazendo com que deixem de estar disponíveis para esse financiamento”. Este online escrito que a TACV transformou- se num sorvedouro dos recursos do Estado. O representante da União Europeia não anda longe  dessa percepção, pois considera que ” empresas públicas, nomeadamente os TACV, são um verdadeiro dreno dos recursos do Estado. Cerca de três milhões de euros por mês que tem custado ao Estado cabo-verdiano e isso é insustentável”José Manuel Pinto Teixeira assinalou que, na União Europeia, as ajudas do Estado às companhias aéreas não são permitidas e que muitas empresas europeias de bandeira faliram ao longo dos anos.

“São realidades com que é necessário confrontar-se. Do lado do contribuinte europeu é difícil justificar que não se possam utilizar financiamentos de Estado em empresas europeias e esse  mesmo financiamento seja utilizado noutros países”

O ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, disse partilhar as preocupações do GAO e adiantou que o Governo está a “trabalhar para rapidamente” encontrar soluções para os problemas das empresas públicas.

O GAO – que tem como membros o Banco Africano de Desenvolvimento, Banco Mundial, Luxemburgo, Portugal e União Europeia, e contribuiu em 2016 para o orçamento de Estado de Cabo Verde, através de doações e créditos, com cerca de 26,5 milhões de euros .

 

 

 

 

 

 

  1. Augusto Galina

    De hà muito se sabe que a TACV é uma caixinha de onde se servem os “copins” e os “coquins”. Nunca haverà lucro ou mesmo equilibrio enquanto a companhia for propriedade do Estado. Todos se servem e fazer com que as familias façam a mesma coisa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.