Namoro online um salto no escuro que as vezes dá certo

9/11/2016 08:15 - Modificado em 9/11/2016 08:15
| Comentários fechados em Namoro online um salto no escuro que as vezes dá certo

namoro-onlineHoje em dia, com o advento das novas tecnologias, conhecer pessoas novas passou a ser uma das coisas mais simples. Travam-se novas amizades, reencontram-se amigos ou amigas de infância, fazem-se contactos de trabalho com pessoas noutros países e também começam os namoros pela internet.

 

Existem muitos sites de relacionamento. Em Cabo Verde, a maior parte dos relacionamentos começa através do Facebook, a maior rede social do mundo. Com a ajuda da internet e das redes sociais, conhecer pretendentes passou a estar à distância de um clique.

Namoros, principalmente pela internet, podem abrir portas para certas vulnerabilidades. Para conhecer um pouco como é que estes relacionamentos online funcionam e muitos deles à distância, o NN entrevistou algumas pessoas que experimentaram este tipo de compromisso.

Alguns deram certo e outros, conforme explicam, deram numa “tremenda” desilusão. Isto porque os contactos são feitos através do chat ou mensagens no whatsApp ou outras plataformas sociais e não é possível saber o que é que a pessoa com quem se está a conversar quer de verdade. Apesar dela poder mostrar-se atenciosa, carinhosa e romântica, quando a conhecemos pessoalmente, pode mudar completamente.

Paula, uma das entrevistas conta que conheceu o namorado através do Facebook e começaram a conversar e a conhecerem-se melhor e, com o tempo, a relação de amizade começou a desenvolver-se pois passavam horas a falar e nunca faltava assunto, conta.

Com o tempo, a amizade passou a ser algo mais, mas devido à distância, já que o namorado residia na ilha da Boavista, não era possível encontrarem-se pessoalmente.

“Estivemos juntos durante oito meses e pouco só a falar pela internet, até que um dia, quando estava de férias resolvi viajar para a Boavista para passar as férias com ele”. Ela conta que quando chegou na ilha, apesar de nunca se terem tocado, foi um momento “maravilhoso, porque ali estava ele à minha espera no aeroporto e desde aquele momento estamos juntos e já lá vão quase três anos”. Actualmente, o namorado de Paula vive na ilha de São Vicente, a estudar numa das universidades.

Este é um dos casos de namoro que, mesmo à distância, é diferente da de Edilene. Ela namorou durante quase um ano um jovem que estava em Portugal. Eles conheceram-se também no Facebook e apaixonaram-se. Ele estava fora de Cabo Verde, em tratamento, e conheceram-se através de uma amiga em comum que lhe sugeriu amizade. Ao contrário do outro casal, Edilene e o namorado já não estão juntos.

Mas garante que foi uma das melhores experiências da sua vida. E agora, noutro relacionamento, busca a sua felicidade.

Os namoros online muitas vezes terminam de forma errada porque, como já foi dito antes, a pessoa nem sempre é quem diz ser. Um dos perigos de namorar à distância são as mentiras. Não dá para ter a certeza de que tudo o que a pessoa diz é verdade. Isto já acontece pessoalmente e, através da internet, fica bem mais fácil inventar mentiras e acreditar-se nelas, principalmente se estiverem a conversar por chat.

Por exemplo, a “Mara”, nome fictício, diz que há cerca de um ano conheceu alguém pela internet e começaram a falar. Com o tempo, a pessoa conquistou a sua amizade e confiança e envolveu-se emocionalmente e começou a ter sentimentos por esse homem, mas não era um relacionamento real.

“Ele simulou ser quem não era na verdade, somente para poder conquistar-me e desfrutar de alguma forma de prazer ou satisfação, sem o desejo de namoro”. Cativada pelo “namorado”, Mara diz que não percebeu quais eram as intenções reais dele. Descobriu muito tarde, quando foi confrontada com a mulher dele. Esta diz que se sentiu tão humilhada, pois “ele fazia do Facebook um modo de ‘trair’ a sua namorada”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.