SINTAP pretende impugnar resultados da votação para a escolha dos delegados ao congresso da UNTC-CS

8/11/2016 08:29 - Modificado em 8/11/2016 08:29

impugnarNos dias 25 e 26 do corrente mês, a ilha de Santiago, cidade da Praia, acolhe o VII Congresso da UNTC-CS sob o lema: “Pela justiça, inclusão e igualdade sociais”. O congresso vai contar com cerca de 130 delegados de diferentes sindicatos filiados. Durante o congresso os delegados vão eleger os novos órgãos, discutir e aprovar o relatório de actividades e alterar, “eventualmente”, os estatutos.

 

Nesta quarta-feira, os sindicalistas do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP) reuniram-se em assembleia para a votação da escolha dos delegados que irão representar a organização no congresso. Durante a assembleia, um sócio da SINTAP abandonou a sala devido à recusa da direcção do sindicato de permitir que uma lista de candidatos fosse a votação.

De acordo com o representante e cabeça de lista da candidatura, Baltazar Monteiro, delegado sindical do Hospital Baptista Sousa, o argumento utilizado pela direcção para justificar a não aceitação da sua lista, deve-se ao facto de, em Outubro, ter sido aprovado um artigo de interesse para excluir oportunidades de candidaturas, ficando apenas com uma lista única.

Este sindicalista revoltado com a situação diz que abandonou a sala porque as condições não lhe permitiam ficar, afirmando que uma democracia não é assim. “Só se não houver interessados em apresentar uma lista para a votação, é que se pode apresentar uma lista única”, diz Baltazar Monteiro.

Entretanto, a lista única apoiada pela direcção foi submetida a votação e agora, o sindicalista diz que irá recorrer desta decisão, primeiramente para rever o estatuto e a lei que vigoram e depois para pedir a impugnação da votação.

“Não foi permitida a apresentação da lista, uma lista de pessoas presentes na assembleia, porque queriam que fosse apenas a lista deles e como tinham esta autonomia, seguiram em frente”.

Confrontado com esta acusação, Eduardo Fortes, Secretário Permanente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública, SINTAP, diz que o artigo 5º do regulamento eleitoral que dava a possibilidade de apresentação de candidaturas concorrenciais em reuniões para eleições de delegados ao congresso caiu, ou seja, já não existe. Portanto, o mesmo diz que se limitou apenas a aplicar o regulamento eleitoral.

“E, sendo assim, não há cabimento de apresentação de nenhuma candidatura e a candidatura que o sindicato entender apoiar tinha o aval para trabalhar. Deixou de haver listas concorrenciais”.

E sabendo disso, Eduardo Fortes diz que estes queriam fazer passar “sorrateiramente” a sua proposta e a candidatura concorrencial não tem legitimidade para impugnar os resultados da votação desta segunda-feira.

  1. José Luis Fonseca

    Oláaaaaala, Um colega no seu máximo. cumpriu na íntegra as ordens do Julinho e da Mariazinha Almeida. Bem feito só tu poderias apresentar a lista ninguém mais. Coitado do Baltazar querer ir a um Congresso. Nunca e não sabe que estava a filha da Dra.filomeninha monarquia.

  2. Delegado sindical

    O Sr. Eduardo Fortes, Secretário Permanente do SINTAP, Sindicalista ora reformado, não quer ir para casa. pois a intenção é promover a habitual corrupção no mesmo sindicato e usufruir dois salários, não aceitou a lista de candidatura de delegados ao congresso da UNTC-CS do Sr. Baltazar porque ele está ultrapassado nestas lides e não entende nada da democracia sindical atual. Pois noutros tempos indigitava os delegados para cumprir as habituais formalidades eletiva do secretário geral da UNTC. Sr. Eduardo, hoje vivemos numa democracia sindical onde sindicalistas de hoje estão altamente instruídos e com formação adequada, por isso são irreverentes e não podem aceitar os desmandos dos sindicalistas reformados que a única coisa que têm para os passar e a forma corrupta de fazer o sindicalismo.
    Sr. Eduardo, vá para casa e deixa o SINTAP fluir e ajudar os trabalhadores. ´´pela justiça, inclusão e igualdade sociais´´

  3. trabalhador

    Concordo consigo Delegado Sindical. O Eduardo-careca é menino mandato do Júlio Silva. Precisa ir para casa, porque esse reformado e não ficar a ganhar dinheiro dos coitados e do INPS. Pudera ter 2 vencimentos.

  4. Nelson Cardoso

    Triste esta situação de proibir um sócio e, mais grave ainda, um delegado sindical de querer participar numa disputa eleitoral do seu sindicato. Falamos de um delegado sindical e não de um estranho. Adivinhem por que é que o Sr. Secretário Permanente não lhe deixou apresentar uma lista para concorrer às vagas (4) de delegados ao Congresso da UNTC-CS? Porque teme que ele e mais outros da lista não votem na sua candidata. Será que devemos curvar e pronto perante a vontade do dirigente sindical? Será que não podemos ter direito a opinião diferentes e escolha própria? É medo ou abuso? Sinceramente fiquei decepcionado com uma atitude desta. Como é que que vamos motivar os trabalhadores para assumirem as causas laborais se nós mesmos lhes cortamos esse direito? Minha gente coisa pior se passou antes nesta assembleia e nem imaginem. Mas roupa suja se lava em casa. Uma assembleia de sócios, de delegados ou de dirigentes deverá reger pelos princípios democráticos e estatutários e, principalmente, pelo Regulamento eleitoral e nunca pelo medo, insegurança, exclusão e tratamento diferenciado aos sócios. Podem perguntar por que é que estou a comentar e digo-vos porque sou um dirigente sindical e da UNTC-CS e isto me chamou a atenção e preocupou-me muito.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.