São Vicente: planos para baixar produção de lixo passa pela campanha de sensibilização das pessoas

2/11/2016 08:24 - Modificado em 2/11/2016 08:35
| Comentários fechados em São Vicente: planos para baixar produção de lixo passa pela campanha de sensibilização das pessoas

LIXO1O Município de São Vicente tem a maior taxa de produção de lixo de Cabo Verde. São dados de um estudo de levantamento feito no país. De acordo com o estudo, a ilha produz cerca de um quilo e duzentas gramas (1.200) de lixo por dia, mais que a média nacional que é de 875 gr.

 

Segundo Susana Palminho da Eco Visão, responsável pela companhia que suporta o projecto, o roteiro faz a caracterização efectiva da produção de lixo em cada município e a topologia de resíduos produzidos.

A mesma afirma, citando o estudo, que a maior parte dos resíduos é biodegradável e é formado também por material com potencial reciclável, como plástico, vidro e papel o que “permite também desenvolver esta parte de tratamento de recuperação dos resíduos”.

Aquando da entrevista à população, muitos dizem não conhecer como funciona o dito estudo, mas acabam por concordar com este, já que está patente que a população de São Vicente é uma das mais consumistas do país, diz Hermes Dias que, no entanto, afirma que a ilha é uma das mais limpas do país e isso deve-se muito à política de reutilização de resíduos.

Os lixos biodegradáveis, por exemplo, são consumidos pelos animais, mais concretamente, pelos porcos. Paula afirma que existem informações, mas é a forma de como é veiculada que não funciona e é preciso que a população tenha ainda mais atenção na forma de consumir. Segundo o estudo, os descartáveis e enlatados são a maior percentagem e é preciso sensibilizar a população de forma a reduzir esta estatística, o que torna imprescindível o consumo natural dos produtos.

Com São Vicente no topo da lista, em segundo lugar surge o Município da Praia, seguido da ilha do Sal e Boavista, com uma media diária de 1,9 kg, respectivamente, pelo que é preciso reverter esta tendência. Numa sociedade altamente consumista é preciso que não se fique apenas pela palavra e que haja mais acção.

“As pessoas que colocam grandes quantidades de lixo nas ruas e que acaba por ser vandalizado, deveriam ser multadas pela polícia”, diz Cláudia que acredita que esta seria uma das solução para reduzir a produção de lixo na ilha.

A Vereadora do Ambiente, Saneamento e Abastecimento da Câmara Municipal de São Vicente, Carla Monteiro, citada pela RCV assegura o engajamento ainda maior da edilidade no trabalho de sensibilização das pessoas, a começar pelas comunidades mais sensíveis como as escolas, de forma a criar uma mudança de comportamento e garantir gerações futuras mais conscientes em relação à produção de lixo.

“A começar pela reutilização de mais produtos, não consumir de forma a produzir grandes quantidades de resíduos e em relação às empresas, terem embalagens reutilizáveis e darem um destino mais adequado de forma que não tenhamos esta produção tão grande”, conclui.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.