Julgamento de Antany: Ministro da Defesa promete apoio às famílias das vítimas

26/10/2016 07:32 - Modificado em 26/10/2016 07:32

antany silva2A data do início do julgamento do soldado António Silva Ribeiro, de 23 anos, suspeito da morte, em Abril, de 11 pessoas – oito militares e três civis, incluindo dois cidadãos espanhóis – no destacamento de Monte Txota, ainda não  foi confirmada por motivos de segurança. O Ministro da Defesa não confirmou a data, afirmando que “o Tribunal vai anunciar a data proximamente, mas vamos aguardar com serenidade. Foi um momento triste na história das Forças Armadas, uma grande instituição que vai ultrapassar esta situação com muita serenidade, muito sentido de Estado e grande responsabilidade”.

 

O Ministro aproveitou para endereçar condolências às famílias das onze pessoas assassinadas no destacamento militar. “Agora, com o julgamento, as famílias vão reviver praticamente tudo e queria dizer-lhes que o Estado de Cabo Verde estará sempre ao lado delas para as apoiar neste momento que será também difícil”.

António Silva Ribeiro, 23 anos, mais conhecido por “Antany”, é suspeito da morte, em Abril, de onze  pessoas – oito militares e três civis, incluindo dois cidadãos espanhóis – no destacamento de Monte Txota, na localidade de Rui Vaz, interior da ilha de Santiago.

Na sequência do incidente, várias figuras da hierarquia das Forças Armadas cabo-verdianas colocaram o próprio cargo à disposição.

Uma dessas figuras foi o então Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas (CEMFA), Alberto Fernandes, que foi substituído pelo então Comandante da Guarda Costeira, Anildo Morais.

  1. Francisco Andrade

    O embaixador do reino da Espanha limitou-se a não dar entrevista quando o Presidente da República Jorge Carlos Fonseca foi assinar o livro de condolências.
    Cabo Verde precisa rever a Constituição e aplicar ” pena de morte” a casos agravantes como este.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.