Sinais publicitários e informação no meio de passeios da cidade constituem risco de vida para peões

25/10/2016 07:47 - Modificado em 25/10/2016 07:47

mindeloOs peões pedem a intervenção da Câmara Municipal de São Vicente na remoção de sinais de informação e publicidade que estão colocados  nalguns passeios da cidade ou a sua recolocação de forma a melhorar a mobilidade das pessoas e evitar que estas tenham que andar na estrada com risco de serem atropeladas.

Esta é uma preocupação para com o bem-estar dos transeuntes, visto que a existência de sinais publicitários ou de informação no meio de alguns passeios da cidade, “impedem a livre circulação de peões e leva-os a contorná-los e, por vezes, chegando mesmo a invadir a estrada. Isso constitui um risco para a vida dos transeuntes”.

Pode-se observar, por exemplo, perto da Enacol no Madeiralzinho, Fundo Meio, a existência de um sinal de informação apontando a direcção da Universidade Lusófona. E percebe-se, no entanto, que para andar no local é preciso descer do passeio e invadir a estrada com o risco de se ser atropelado por algum automóvel que venha na mesma direcção.

Em conversa com alguns peões, nomeadamente alunos da escola Jorge Barbosa que costumam utilizar o passeio no trajecto para a escola, os mesmos dizem que é preciso perceber o risco que estes postes colocados no meio do passeio podem representar, isto porque o dito passeio é bastante estreito. É necessária uma recolocação ou conforme sugerem, pode ser usada na forma horizontal, “pregada” à parede ao lado da Enacol.

Os mesmos consideram que é necessário um trabalho de fundo por parte da edilidade em “toda a cidade”, visto que não é apenas ali que se encontra o problema.

“Muitas vezes andamos pelas ruas, deparamo-nos com obstáculos colocados mesmo no centro dos passeios e eles são tão mais críticos quanto mais estreitos são os passeios, o que constitui uma situação gravosa, de risco”, diz Josiane Sousa que faz o trajecto todos os dias para ir para o trabalho.

“É um trabalho que tem de ser feito em toda a cidade, de rua em rua, ver o que está mal e assegurar uma nova forma de colocar os sinais e facilitar a vida a todos, aos peões e aos automobilistas também”, dizem.

Esta é uma situação que abrange a população em geral, desde jovens até idosos que se sentem inseguros em caminhar no local, bem como de pessoas que têm limitações de mobilidade.

A denúncia foi feita primeiramente pelo “Provedor do Mindelo” que é uma página no Facebook de denúncia, críticas e sugestões para os munícipes da cidade.

Não foi possível obter a reacção da Câmara sobre o assunto até ao fecho desta edição.

  1. yussuf

    faz sentido e devia ser aplicado a todos os municípios, sobretudo aqui na Praia, onde se regista cada vez mais esses placards publicitários.

    também de louvar a CMSV, que nao permite nem autoriza, cartaz publicidade sobre álcool, ao contrario da CMP, onde se apercebe uma constante publicidade nesse sentido.
    alias mesmo os festivais financiado pelo álcool, não deviam ser permitidos.

    a consideraçao superior

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.