“Caçubody” relâmpago em São Vicente

18/10/2016 08:18 - Modificado em 18/10/2016 08:18
| Comentários fechados em “Caçubody” relâmpago em São Vicente

mindeloEm São Vicente algumas pessoas têm sido alvo de roubos rápidos e os casos de “caçubody” acontecem na rua na “barba” cara das pessoas, que ficam sem os telemóveis que estão a falar ou a enviar mensagens.

 

Os casos que o NN sabe são furtos de telemóveis e as vítimas afirmam não terem feito queixa na Polícia Nacional por acreditarem que não vale a pena, visto que “será muito difícil identificar os suspeitos e é só perda de tempo irem às autoridades, porque estes casos não são importantes”, diz Ana. Esta estava perto do BCA na zona de Alto Sentina, quando resolveu responder a uma mensagem e, de repente, tiram-lhe o telefone. O suspeito pôs-se logo em fuga, a vítima do “caçubody” relâmpago ficou incrédula e acrescenta que “pensei que fosse alguém a brincar comigo e ainda fiquei com os dedos no ar a teclar de tão rápido foi o roubo”.

Outro caso é o de um jovem de 18 anos que foi deitar o lixo fora, na zona de Fonte Francês e no regresso a casa, tira o telemóvel do bolso para atender a uma chamada. Nesse instante, aparece alguém do “nada” e tira-lhe o telefone e a vítima também ficou sem reacção por não estar à espera de tal acto. Também no parque infantil Nhô Roque, no Mindelo, um miúdo de 14 anos estava a jogar à bola às 15 horas, quando um grupo de três jovens abriu-lhe a mochila que estava atrás da baliza e levou-lhe o telemóvel. Os suspeitos saíram a correr, ainda a vítima do roubo correu atrás dos suspeitos, mas sem sucesso. Neste caso foi apresentada queixa na PN e até foi identificado um dos suspeitos que foi levado para o posto policial na cidade, porém, passaram-se duas semanas e nenhuma novidade, muito menos do telemóvel roubado. Também o NN sabe de um guarda-nocturno que foi alvo de “caçubody” e levaram-lhe o telefone.

As vítimas dizem estar estupefactas com esses roubos e apelam para que haja mais segurança na via pública e sugerem que seja colocada a Polícia Militar nas ruas, apesar de reconhecerem que com a BAC as coisas melhoraram em São Vicente, porém, “já se sabe que nos meses antes do Natal e final do ano, os casos de roubos nas ruas aumentam, porque os gatunos ficam desesperados com a época das festas”, diz uma das vítimas do “caçubody” relâmpago que defende um reforço policial nesta época.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.