Praienses insatisfeitos com o aumento do preço da água e da electricidade

17/10/2016 08:24 - Modificado em 17/10/2016 08:24

electra-palmarejoOs utentes da Electra na cidade da Praia receberam com insatisfação o anuncio  do aumento das tarifas da água e da electricidade. De acordo com os entrevistados, qualquer alteração nos preços dos serviços representa também consequências no custo de vida dos cabo-verdianos que “labutam todos os dias para conseguirem o pão de cada dia para o sustento da família”.

 

De acordo com as tarifas anunciadas pela Agência de Regulação Económica, em Abril deste ano, os preços da água e electricidade sofreram uma ligeira diminuição, sendo 12,92 por cento na electricidade e de 7,69 na água.

Seis meses após a alteração dessas tarifas, os consumidores abordados pelo NN consideram não terem notado qualquer redução nas facturas. Os mesmos garantem terem pago facturas com preços exagerados e sem nenhuma explicação para tal.

Contudo, devido à última actualização dos preços dos combustíveis fixada pela Agência de Regulação Económica, ARE, os consumidores passaram a pagar mais pela água e electricidade. A electricidade e a água ficaram mais caras com aumentos significativos em todos os escalões.

De acordo com as novas tarifas fixadas pela Agência de Regulação Económica, a subida média do preço da electricidade e da água na Electra foi de 10,73% e 4,40%, um aumento de 2,32 escudos/quilowatts (kwh) e 14,07 escudos/metro cúbico (m3), respectivamente.

A notícia do aumento das tarifas não caiu no agrado dos clientes que se dizem afrontados com os sucessivos aumentos dos produtos e serviços. Carmelita Tavares que se diz surpreendida com uma factura da Electra acredita estar a ser roubada pela empresa de distribuição de energia e água na cidade da Praia.

“Sem qualquer razão, a minha factura mensal que era de cinco mil escudos passou para oito mil escudos, sem explicação plausível. Informaram-me que a electricidade foi consumida e que devo apagar a factura”.

Isa Moreno acredita que a Electra se tem aproveitado do aumento das tarifas dos combustíveis para exagerar na cobrança das facturas, por isso, considera que assim como a ADECO, a fiscalização deveria estar mais atenta às manobras da Empresa.

Quem não se contenta como o aumento é o cliente Sabino Centeio que considera que qualquer alteração nas tarifas se reflecte consequentemente na vida dos consumidores. “Trabalhamos duramente para conseguir o pão de cada dia para sustentarmos as nossas famílias. Contudo, arranjam sempre astúcias para diminuírem o nosso poder de compra”.

  1. Carlos Silva - Ralão

    A ADECO TEM CERCA DE 1500 A 2000 SÓCIOS PAGANTES, SE NÃO ME ENGANO, OU SEJA, SÃO ESTES SÓCIOS QUE LUTAM PELOS DIREITOS DE MAIS DE 300 MIL. NINGUÉM QUER PAGAR QUOTAS DA ADECO, MAS QUANDO O BICHO PEGA, AÍ EXIGEM RESPONSABILIDADES E FISCALIZAÇÃO POR PARTE DA ADECO!!!!!!!!

  2. MPD

    Sem DJOBI pa ladu!!!! VIVA MPD

  3. MPD

    Sem DJOBI pa ladu!!!! VIVA MPD

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.