Vander Gomes: Uma postura mais próxima das pessoas para minimizar a abstenção

14/10/2016 08:05 - Modificado em 14/10/2016 08:05
| Comentários fechados em Vander Gomes: Uma postura mais próxima das pessoas para minimizar a abstenção

vander gomesVander Gomes foi eleito nas últimas eleições autárquicas como deputado municipal e, na sessão de tomada de posse, foi eleito como Secretário Municipal. Com 25 anos de idade, é um dos mais novos deputados da Assembleia Municipal. Em conversa com o NN, revela que a sua vida partidária começou aos treze anos, com alguma influência dos seus irmãos mais velhos que fizeram parte das estruturas da JPD.

 

O ano de 2016 tem sido um bom ano para este jovem deputado que participou de forma directa em todas as eleições. Nas legislativas, esteve à porta de ser eleito deputado nacional; nas autárquicas conseguiu a eleição e, nas presidenciais, foi mandatário da juventude na candidatura de Jorge Carlos Fonseca.

“Fisicamente é extremamente cansativo, mas motivante porque se aprende muito. Nas legislativas, aprendi muita coisa sobre gestão de uma campanha, e não só, no terreno dá uma visão muito mais ampla da necessidade. No terreno pode-se sentir o pulsar da ilha e as reais necessidades das pessoas”, diz Vander Gomes.

Nas redes sociais descreveu o momento da posse como um motivo de orgulho e responsabilidade. Orgulho, como diz, pelo facto de pertencer à ilha e pelo facto de representar os munícipes de São Vicente e ser o representante de muitos.

Sobre a responsabilidade, afirma: “Nestas eleições, tivemos uma maioria, ou seja, os projectos apresentados mereceram o aval dos munícipes. Temos o poder de gerir o Município em que os compromissos são para se cumprir. E dissemos que íamos fazer uma política de proximidade e temos de ter uma política de proximidade”.

Com a maioria conseguida, diz que somente a responsabilidade é que aumenta. “Essa maioria quer dizer mais trabalho e exige mais, porque o peso da maior decisão pesa sobre a maioria. A responsabilidade é mais trabalho porque não há desculpas, e nem voltas a dar”.

Como secretário

Vander encara com satisfação o cargo de Secretário Municipal e, a um jovem a desempenhar funções diz que ainda está na fase de ouvir. Revela que quer uma nova estrutura, uma postura diferente para ajudar as pessoas. “Penso que podemos ser diferentes ao aproximar-nos mais das pessoas. Como Secretário, a minha postura vai ser diferente da de outros secretários. Queremos, como Assembleia, informar e dar a conhecer tudo o que fazemos”.

Aposta nas novas tecnologias para levar a informação às pessoas de forma a criar esta proximidade. “Queremos uma Assembleia próxima dos munícipes, uma Assembleia com porta escancarada e vamos organizar uma agenda de trabalho e de visitas; esta porta tem de estar aberta. A Assembleia não pode somente legislar, tem de ter a parte mais humana”.

Abstenção

A alta taxa de abstenção nas últimas eleições foi preocupante e os actores políticos têm falado da necessidade de se sentar e pensar como reverter a situação. Para Vander, de um lado verifica-se o desinteresse das pessoas, e é necessário reflectir sobre como reverter a situação.

Para Vander, a nova postura da Assembleia pode minimizar a questão da abstenção. “Penso que os partidos políticos e outros órgãos têm de mudar a postura em relação às pessoas. Agora, na Assembleia, o interesse pode aumentar se nos conseguirmos aproximar das pessoas, e temos de nos aproximar das pessoas”. Acrescenta que uma postura mais próxima pode ajudar as pessoas a ganhar confiança na política e a uma maior participação.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.