Brava: Delegacia de Saúde acusada de recusar atendimento médico a criança de dois anos

13/10/2016 08:16 - Modificado em 13/10/2016 08:16

medicoSegundo noticiou a RCV, a Delegacia de Saúde da ilha da Brava recusou atendimento médico a uma criança de apenas dois anos com sintomas de vómito e diarreia. Cátia Monteiro, mãe da menor que se mostrou indignada com a falta de prestação de cuidados por parte do enfermeiro de serviço, João Monteiro, conhecido por Djodjoi”, considera “sentir estar no fim do mundo, num lugar onde recusam o atendimento a uma criança porque o momento é impróprio”.

 

Em declarações à RCV, o enfermeiro em questão alega que a paciente não se enquadrava num caso de urgência daí ter pedido a compreensão da mãe uma vez que se encontrava no momento de passagem de turno.

O caso foi registado na manhã de sábado nas Urgências da Delegacia de Saúde da ilha da Brava. De acordo com a mãe, a criança começou a sentir-se mal por volta das cinco horas da manhã. Tinha sintomas de diarreia e vómito frequente, pelo que, preocupada com a situação, resolveu procurar os serviços de saúde ainda antes das sete horas.

Contudo, conta que regressou com a filha a casa, pois teria sido negado o atendimento por considerar tratar-se de um caso não urgente, isso segundo o enfermeiro que a recebeu. De acordo com a mãe da menor, Djodjoi alegou que o momento era impróprio porque estava reservado aos pacientes que se encontravam internados.

Perante a situação, Cátia Monteiro considera “sentir estar no fim do mundo num lugar onde recusam o atendimento a uma criança porque o momento é impróprio”.

Porém, o enfermeiro João Monteiro esclarece que pediu a compreensão da mãe para aguardar, pois encontrava-se no momento de passagem de turno onde prestava cuidados aos doentes internados. Um momento que considera “um pouco complicado para atendimento de pessoas que de facto não têm urgência”.

O mesmo afirmou que não se tratava de um caso de urgência, pois a paciente não apresentava níveis de desidratação que merecessem atendimento urgente.

  1. jorge Antonio lima

    Que mundo nós estamos?
    Quando um enfermeiro nega atender uma criança de 2 anos que nem sabe ainda se está no mundo?? rapaz!! tenha dó. A criança tinha vómito e diarreia segundo conta mae devias largar tudo nem que fosse a mim que davas assistência atendias essa criança. Não nem desculpas afirmares que negaste atender essa criança porque estavas a passar turno. esse turno passavas nem que fosse no dia seguinte. Esse teu acto nao tem perdão é expulsão mesmo porque coisas dessas não se faz quanto mais com uma criança inocente. Esse enfermeiro está lá é só para ganhar dinheiro porque de humanismo ele não tem nada. Vou contar-te um acto que nunca irás esquecer ” um dia levei a minha neta À urgência em S.Vicente, só para aplicar uma injecção, uma enfermeira já tinha retirado a bata , já de saída na porta, ela viu só a criança, voltou para o seu posto de trabalho aplicou-lhe a injeção, agradeci a mesma e ela foi para casa. Assim que é humanismo. Fizeste com a criança quanto mais se fosse com um velho.
    Obrigado esse jornal por ter publicado essa noticia espero a vossa moderação da minha noticia

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.