Suspensão do 9º ano do ensino recorrente: alunos pedem uma soluçao para continuarem os estudos

11/10/2016 08:27 - Modificado em 11/10/2016 08:27

professorOs alunos que pretenderem matricular-se no 9º ano do ensino recorrente não poderão se inscrever. Por isso são obrigados a prosseguirem os estudos recorrendo a escolas privadas. O facto é que nem todos conseguem financiamento para custear os estudos. Os interessados dizem se descontentes e pedem  uma solução urgente do Ministério da Educação.

 

A medida de suspensão a nível nacional foi feita desde do ano lectivo 2014/2015 com o objectivo de legislar o Ensino Recorrente, uma vez que a legislação tornou se antiga, dai a necessidade de criar instrumentos legais para o tipo de ensino.

Alunos não se conformam com a medida, pois para muitos que deixaram de estudar por motivos diversos o objectivo agora é sempre continuar os estudos e atingir as metas traçadas. A indignação dos alunos que têm procurado estudar 9 ano reflete-se  em todo o país. Na cidade da Praia, vários alunos mostram-se indignados com a situação, pois as suas inscrições não foram aceites.

Em entrevista com alguns alunos nesta situação, fomos informados que a suspensão se deve a ausência de regulamentação para o 9º ano. Mário Silva que pretendia recomeçar seus estudos, diz sentir empurrado para o ensino privado uma vez que o Ministério da Educação não lhe deu outra opção.

O entrevistado diz que apesar de ter conhecido a medida, se esforçou bastante para conseguir estudar com todas as dificuldades, esperava que já era tempo de a situação estar resolvida

Já Carla ,18 anos,  que perdeu o direito de estudar em escolas públicas diz se frustrada com a situação. “Não tenho como continuar os estudos porque os meus pais não conseguem suportar as despesas uma vez que só tenho oportunidade de me matricular numa das escolas privadas”.

“As apostas do Ministério da Educação na alfabetização em Cabo Verde têm seguido caminhos contrários aos seus objectivos. Não entendo o porque da suspensão que priva alunos de continuarem os seus estudos”, desabafa Arlindo Semedo.

Uma vez impedidos de continuar as suas formações, os alunos consideram a situação de desespero e por isso apelam para que o actual Governo pondere e reabra o 9º ano ou que lhes deem outras soluções no sentido de devolver oportunidade aos jovens e não lhes adiar mais o futuro.

A nossa reportagem tentou entrar em contacto com a Directora Nacional de Educação, mas ate o momento não recebemos qualquer resposta.

  1. Alunos que já passaram de idade, podem perfeitamente estudar nas escolas privadas e isso vem acontecendo há muito tempo. Muita gente frequentaram estas escolas, eu por exemplo estudei na escola académica e há muitos que já fizeram formação superior. Portanto quem quer estudar tem que investir, porque o estado não pode dar tudo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.