Mindelenses querem mais da CMSV e do «governo amigo»

7/10/2016 08:00 - Modificado em 7/10/2016 08:00

cmsvAs promessas são para pagar e já. E o que pensam os mindelenses ouvidos pelo NN. A primeira promessa a cumprir tem a ver com promessa que com um « governo amigo?» São Vicente terá mais desenvolvimento . Augusto Neves e Ulisses Correia e Silva tem a palavra e a confiança do mindelenses … até ver.

 

A nova equipa da Câmara Municipal de São Vicente foi empossada nesta última quarta-feira. Acto que dotou os novos eleitos de poderes para começarem a trabalhar em prol da ilha, faltando agora a distribuição de pelouros por parte do Presidente Augusto Neves. Neves que no seu discurso de tomada de posse afirmou que o trabalho será buscar resposta aos anseios das pessoas. E acrescentou que carrega nos ombros as esperanças das pessoas que o reelegeram. E ainda que, “as políticas sociais, a luta contra a pobreza, o apoio às pessoas e às famílias serão os nossos primeiros desígnios”.

Da parte das pessoas, a expectativa é grande, não pelo Presidente, mas pela esperança que as coisas possam melhorar na ilha. A questão do emprego é um tema recorrente com a população à espera de medidas que possam trazer trabalho à ilha. Mais especificamente, nalgumas outras zonas, a questão da água e do saneamento são outras preocupações.

Depois das eleições “não importa o partido que estiver a governar desde que esteja a trabalhar para o bem das pessoas”, reitera Fredilson Fortes, da zona de Bela Vista. Ele já não olha para a cor política mas para o trabalho que espera que seja feito. “Espero que faça um bom trabalho, já que disse que com o governo do mesmo partido vai ser melhor. Agora vamos esperar para ver”, declara.

O discurso de campanha era de que com o “Governo amigo” as probabilidades de desenvolvimento seriam maiores. E, neste aspecto as esperanças e as expectativas são altas para as pessoas com que o NN conversou. Uma das esperanças colocadas no novo edil é a criação de emprego. Em São Vicente, o problema do desemprego já não é uma novidade, a novidade que se espera ver é a sua concretização. “Temos muitos jovens desempregados que estão à procura de trabalho e, por isso, esperamos que ele possa criar mais postos de trabalho para ajudar os jovens”, refere Djamila Delgado, moradora em Monte Sossego.

A questão do emprego é uma das maiores esperanças colocadas em cima dos ombros do novo Presidente, no sentido de que “as pessoas precisam de formas para sustentar as suas famílias”, sublinha Fredilson.

Outras esperanças também são colocadas sobre o Presidente. Dario Rocha falando sobre a sua zona, Monte Sossego, olha para as pessoas que têm feito as suas habitações nas encostas das rochas. E pensa que a CMSV tem que trabalhar para ajudar as pessoas a nível de água e saneamento. Segundo o seu ponto de vista, são assuntos básicos para as pessoas, mas que fica difícil quando se têm problemas em conseguir a legalização das casas para ter uma casa de banho e água.

A questão do acesso à água e ao saneamento não é um problema específico de uma única zona de São Vicente, na Ribeirinha e Bela Vista, por exemplo, há moradores que reclamam destes serviços. Zona X, é uma das últimas zonas de Ribeirinha e Nanda Soares afirma que se deve analisar a possibilidade de construção de mais sentinas de forma a, “já que não se pode colocar água em casa”, fazer com que ela fique mais perto.

Emprego, água e saneamento para todos, aos quais também se acrescenta a iluminação pública, não somente dentro nas ruas principais das zonas mas também no interior das mesmas para melhorar a segurança, são outros pedidos anotados pelo NN. As pessoas colocam no novo Presidente da CMSV, algumas esperanças num panorama em que a edilidade e o Governo têm a mesma cor política e as expectativas sobre a cooperação entre ambos é alta.

  1. ATENTO

    É ISSO MESMO, JÁ AGORA QUE TEMOS UM GOVERNO AMIGO DA CÂMARA, NÃO HÁ MOTIVOS PARA DESCULPAS QUE O GOVERNO NÃO APOIA PORQUE A CAMARA É OPOSIÇÃO

  2. Jorge Lima

    Para o Dario rocha é bom ter em conta que:
    habitações clandestinas impedem o plano de água e saneamento que a CMSV estabelece para determinado Bairro.
    Você constrói a sua casa clandestina, constrói sem o aval da CMSV, sem licença de construção e quando vem uma chuva, aí surge certos problemas como inundações e queda de paredes da casa, pois a construção não foi fiscalizada….A CMSV não pode ser responsabilizada por danos causados as habitações clandestinas.
    grato

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.