Cabo-Verdianos consternados com a morte do ex-Presidente António Mascarenhas Monteiro

19/09/2016 08:11 - Modificado em 19/09/2016 08:11

antonio-mascarenhasO corpo do ex-Presidente da República de Cabo Verde, António Mascarenhas Monteiro, foi a enterrar na tarde deste domingo do cemitério de Assomada, Concelho de Santa Catarina. A Cerimónia de Honras Fúnebres ocorreu no Palácio da Presidência do Plateau, na cidade da Praia, na presença de várias entidades do País. Os cabo-verdianos sentem-se consternados com a perda daquele que foi o primeiro Chefe de Estado democraticamente eleito.

 

António Manuel Mascarenhas Gomes Monteiro era natural da Ribeira da Barca, ilha de Santiago, e faleceu na manhã do dia 16 de Setembro, aos 72 anos. O ex-Presidente morreu vítima de doença prolongada. Foi com surpresa e consternação o primeiro Chefe de Estado democraticamente eleito.

O Primeiro-Ministro Ulisses Correia e Silva, o Presidente da República interino, Jorge Santos, o Presidente da Assembleia Nacional em exercício, Austelino Correia, Jorge Carlos Fonseca e várias outras figuras estiveram presentes na cerimónia fúnebre de António Mascarenhas Monteiro.

No Palácio da Presidência, Jorge Carlos Fonseca e o Superintendente da Igreja do Nazareno de Cabo Verde, Reverendo Emanuel David Simas Araújo, endereçaram mensagens ao amigo falecido. Após a Cerimónia, a urna fúnebre foi trasladada do Palácio da Presidência da República, na cidade da Praia, para o cemitério de Assomada.

 Os cabo-verdianos entrevistados pelo NN recordam o ex-Presidente “como uma figura que marcou o País de forma muito positiva e deixou um larga experiência aos mais novos”. José Pereira acredita que Mascarenhas não morreu porque permanecerá sempre a sua memória de um homem bom e que sempre lutou pelo bem do País”.

Madalena acredita que a morte do ex-Presidente foi “realmente uma grande perda para Cabo Verde. Ele foi um exemplo de patriota, pois dedicou a sua vida ao País e era um homem bom e íntegro. António Mascarenhas Monteiro foi um Presidente equilibrado que desempenhou o seu papel com prestígio e determinação, por isso, estou muito triste, pois ele foi o Presidente na minha infância e tinha um carinho especial por ele”.

Nas redes sociais também são inúmeras as mensagens de condolência dos cabo-verdianos. O ex-Presidente deixou a presidência da República em 2001, desempenhando logo a seguir funções como Presidente do Grupo de Contacto da OUA em Madagáscar, onde procurou mediar o conflito que eclodiu no curso das eleições presidenciais de Dezembro de 2001.

Entre 1977 e 1980, António Manuel Mascarenhas Monteiro desempenhou o cargo de Secretário-Geral da Assembleia Nacional Popular, transitando depois para o Supremo Tribunal de Justiça que presidiu de 1980 a 1990. Desempenhou vários cargos da magistratura. Foi Presidente da Terceira Conferência sobre o Sistema de Protecção dos Direitos Humanos em África e na Europa Regional e participou na missão Goodwill da OUA em Angola após as primeiras eleições livres do País em 1992.

Recebeu vários títulos honoríficos e recebeu diversos prémios e distinções, incluindo o Grande Colar da Ordem da Liberdade (Portugal), a Grand Croix d’Ordre National du Lion (Senegal), a Ordem José Martí (Cuba) e o Ordre de L’Unité Africaine (Líbia). Publicou numerosos artigos e livros, incluindo “O sistema de governo na Constituição cabo-verdiana de 1992” e “Os processos de democratização em África: o caso de Cabo Verde”. Cabo Verde chora a morte do seu antigo Presidente.

 

  1. Aquariana

    Pois…. enquanto decorriam as cerimónias fúnebres do ex Presidente António Mascarenhas, na cidade do Mindelo decorria um desfile de carnaval….ONDE É QUE ESTÃO AS AUTORIDADES DESTA TERRA ????? JÁ NÃO HÁ RESPEITO POR NINGUEM …

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.