São Vicente / Vencidos: uma derrota com a cara de António Monteiro

8/09/2016 01:08 - Modificado em 8/09/2016 01:08

António-Monteiro-6Um dia escrevi que “um dia António Monteiro será Presidente da Câmara Municipal, mas hoje não é a véspera desse dia”. E o dia 3 de Setembro não foi véspera do dia em que Monteiro seria Presidente da CMSV. Como sempre, Monteiro sabia que não era a véspera desse dia mas, mesmo assim, concorreu pela quarta vez e coleccionou a quarta derrota. O problema não é a derrota, mais uma, mas sim o que conduziu a ela. Monteiro colocou a fasquia alta para ser candidato: “só serei candidato se tiver a certeza absoluta que sairei vencedor”. Depois dessa declaração, o líder da UCID hesitou e no último dia da entrega das candidaturas anunciou que, afinal, para não variar, ele era o candidato da UCID. Não se sabe o que lhe deu a “certeza absoluta que ganharia”. Se uma sondagem, uma cartomante, um bruxo, uma cigana que leu a sua mão, o oráculo, um curandeiro. Mas não importa: quem lhe deu essa certeza estava errado. Perdeu. O que é normal em democracia. Mas o que não é normal é a estratégia que levou à derrota e os objectivos propostos que não foram alcançados. E aqui, esta derrota tem a cara de Monteiro. É a sua derrota, porque disse que ia ganhar. Assumiu que outro resultado estava fora de cogitação. Mas foi pior:  o MpD atinge a maioria absoluta e Monteiro tem responsabilidade no afastamento da UCID do executivo camarário. O problema ou pecado original de Monteiro é que ele quer ser eleito Presidente da CMSV sem nunca ter feito oposição ao executivo do MpD. Isto, porque como se sabe, em 2004 em vez de assumir o papel de oposição, após ter sido derrotado pela Zau, estabeleceu um acordo que permitiu ao MpD sem maioria governar em santa paz. Em 2008 Monteiro vem disputar o lugar com Zau de novo sem nunca ter feito oposição. Antes, tinha sido eleito Deputado Nacional em 2006, mas volta a perder e vai mais longe no seu desejo de não fazer oposição “aos companheiros do MpD”: assina um documento onde estabelece um acordo formal que sustenta por mais quatro anos o executivo da Zau. Mais uma vez, a UCID abdica do papel de oposição e de fiel da balança que lhe foi conferido pelo eleitorado. Monteiro despe a farda de vereador eleito, veste a de deputado e regressa à Praia. E, mais uma vez, não fez oposição ao cargo que queria. O seu partido viabilizou todas as medidas de Zau e Gusto, que por motivos de doença substitui Isaura em 2010. Se São Vicente é o que é em termos de gestão camarária, a UCID tem tanta responsabilidade como o MpD. Se temos mais asfalto em vez de políticas sociais, se temos mais campos de futebol que habitações sociais ou apoio à terceira idade, foi porque a UCID permitiu. Para bem e para o mal a UCID é responsável, porque não fez oposição. A conta vai à frente. Em 2012, Monteiro é de novo candidato depois de ter sido eleito Deputado Nacional em 2011, e repete o que fez nos anos anteriores, concorre com Augusto e é derrotado. Mais uma vez, renuncia ao mandato, volta à Praia e durante quatro anos não faz posição, pelo contrário, surge no fim do mandato de Gusto a impedir que os deputados municipais da UCID chumbassem o plano de actividades e orçamento para 2016 o que condicionaria a gestão ventoinha num ano eleitoral e mostraria uma ruptura com a gestão de Augusto Neves. Em Março de 2016, Monteiro é eleito de novo deputado e, mais uma vez, concorre para a presidente da CMSV. Só que desta vez, o “velho aliado” decidiu acabar de vez com esse “casa, separa, casa, separa” e colocar Monteiro à força na oposição. Até por não ter previsto que o MpD iria mudar de estratégia, pesa na responsabilidade do líder da UCID nesta derrota que tem a sua cara.

 

Eduino Santos

  1. Francisco Santos

    Desculpa-nos Eduino
    Não faz fretes ao PAICV. Este artigo podia sair de um cérebro do PAICV e não de um jornalista.
    Mais uma vez te enganaste, a derrota tem a cara do PAICV: ZeMaria, Janira e Tcheps.
    Não confunda os leitores.Quem detinha poder em Cabo Verde até inícios de 2016 para fazer políticas socias era o PAICV não o MPD e a UCID. Não podes enganar os leitores como o PAICV tentou fazê-lo com a câmara de S. Vicente. As políticas sociais são sobretudo da responsabilidade do poder central e não das câmaras. Se em 2018 ou 20 continuar a haver deficit de políticas sociais quero saber se não vais acusar o Ulisses. Augusto cometeu muitos erros e teve uma má política na Câmara mas Sejamos coerentes

  2. Maria Ja Não Vai

    Hé hé hé… Se Monteiro tava besti calça, jal tinha pedido demissão. Ca tem vergonha, crê estode só ta corré pah seh interesse. Pove já abri oi e jal ca ta creditá na kel discurso de “prato de feijão” ” e “panela na lume”. Um pseudo ídolo com pés de barro!

  3. observador

    sim em parte este artigo do Eduino é manobra de diversão para tentar escamotear não só a derrota do PaiCV MAS TAMBEM e mais importante ainda estar a decrescer em S.Vicente desde da 2ª volta das eleições Presidencias de 2012. De facto neste momento PAI é somente o terceiro partido mais votado e UCID consolida o 2º lugar cada vez mais. Agora mesmo que isso tudo seja verdade Monteiro não pode passar tambem incolume. A Monteiro tem que ser assacado responsabilidades sim. Não sendo a cara da derrota mas ele é de certeza o maior perdedor na medida em que só ele poderia derrotar Augusto estando Tcheps logo a partida etiquetado como um outsider que estaria simplesmente a “tenta se sorte”. Monteiro por outro lado tinha e tem obrigação de fazer mais. Mais para SV e particularmente mais para o seu proprio partido.

  4. UCID empre na coraço

    Encaro o resultado da UCID como uma vitória, afinal a UCID já é a segunda maior força política em São Vicente, o PAICV é o maior derrotado nessas eleições. Só o tempo dirá quando a UCID ganhará a câmara de São Vicente. Se forem ver as estatísticas, verão que em todas as eleições a UCID cresce. Com ou sem Monteiro um dia a UCID será uma grande força politica em Cabo Verde e acabará com o Bi-Partidismo na nossa terra. Mais uma vez quem ganha é a Democracia caboverdiana que tem vindo a amadurecer a cada dia que passa.

  5. Fernando Fortes

    O Monteiro como politico, morreu.
    A UCID terá que carpir mágoas e pensar no seu futuro, pós MONTEIRO.
    Acabou o ciclo Monteiro e as causas apontadas pelo Eduino, estão certas.

  6. manuel m. fernandes

    Nessas alturas devemos ser magnânimos. Claro que estamos a falar da Política ” e política é uma actividade de alto risco e de uma lógica implacavel.” dizia o outro. Mas eu acho que o António Monteiro não perdeu. Hoje UCID é a oposição em Mindelo, entendido esta como a alternativa da Governação Municipal, quando este lugar era ocupado pelo Paicv até 20 de Março. Hoje o P.aicv é um Partido de minoria que a Ucid soube e bem ultrapassar. Sou Militante e dirigente do MPD e entendo que a Ucid foi um parceiro muito útil na governação da minha cidade nesses últimos anos e estou muito grato por isso, por não termos tido nenhuma instabilidade. Fizeram um bom scord faltaram lhes dinheiro na rede final para irem buscar os seus militantes para irem votar. O fenómeno foi Nacional por que o Ulisses é muito forte e tivemos uma abstenção fóra do normal. Parabens ao Augusto Neves que ganhou por que a presentou argumentos fortes, e ao Alcides graça por ter batido em circustâncias MUITO, MUITO dificeis. O que é importante é que a Democracia e o Povo deram o veredicto e agora é preparar as eleições de 20120.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.