Rir para não chorar

11/09/2012 00:54 - Modificado em 11/09/2012 00:54
| Comentários fechados em Rir para não chorar

Aos poucos os sanvicentinos estão a descobrir os horrores de viver sob o regime de ” cortes de energia por tempo indeterminado.Uns são de dar raiva , outros dão para rir e outros dão para cruzar os braços ,porque não se pode fazer nada. Como foi o caso dos apostadores do Totoloto.

 

A má sorte, a tendência do cabo-verdiano em deixar tudo para a ultima hora, aliada aos cortes de energia que assolam São Vicente nos últimos dias podem ter deixado alguém sem ganhar o jackpot no totoloto e no joker. Isto porque, segundo várias agências de loto, muitos clientes habituais não conseguiram fazer as suas apostas devido a falta de energia.

Valentina, em Ribeira Bote ,da agência nº 61 diz que o movimento foi “fraquíssimo”. Além do movimento fraco verificou-se ,nestas agências, que muitos dos clientes habituais não pudream entregar os seus bilhetes.

“Nho Djunga da Rua da Praia é das agências mais antigas e com muitos clientes fixos constatou que “alguns faltaram”.

Todo esse problema, porque hora tinha energia, hora não tinha. Para situações de emergência as máquinas que validam os bilhetes possuem um sistema manual. Mas este sistema é algo que poucos tentam usar ,tanto por inexperiência como pela questão que “estraga muitos bilhetes” no processo de validação. E por isso alguns já o puseram de parte e só trabalham com energia eléctrica.

Vicente Duarte no pelourinho da Ribeirinha usou “a munivela” validar os bilhetes. Teve que trabalhar ate mais tarde e há um momento que disse, “chega”. Isto porque o processo manual é demorado e consequentemente não conseguiria terminar o trabalho a tempo. Francisco Brito em Ribeirinha sentiu a mesma dificuldade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.