3ª Confissão Pública do Amândio

8/08/2016 07:58 - Modificado em 8/08/2016 07:58
| Comentários fechados em 3ª Confissão Pública do Amândio

AmândioEsta é a Verdade da Triste Realidade Que Muitos de Nós da CRASDT, Vivemos no passado. III Parte

  1. Lembro-me de que certo dia, eu estava de férias, no mês de Setembro, no Cenáculo de Ponta D’Água, mais concretamente no quarto dos fundos, no apartamento do Inácio. Eram por volta das 14h00mn, quando eu senti o Samuel a chegar e a cumprimentar o Inácio na porta do quarto deste, e em seguida, o Samuel aproximou-se da porta do meu quarto, o qual de momento tinha a porta e a cortina abertas, bateu no aro da porta e me chamou pelo meu nome. Logo os demónios em mim me incitaram na mente para eu cumprimentar o Samuel, de onde eu estava, e depois dizer ao Samuel para ele poder entrar. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu cumprimentei o Samuel, de onde eu estava, e depois eu disse ao Samuel que ele poderia entrar.
  2. O Samuel entrou no quarto e me cumprimentou, e me disse muito baixinho que ele só veio me dizer que hoje mais tarde, por volta das 21h00mn, haveria uma reunião secreta lá no apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), entre a “gang furtadora da CRASDT”, e a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) mandou-me dizer que ela queria que eu estivesse presente nessa reunião. Logo os demónios em mim me disseram na mente que eu deveria dizer ao Samuel que não havia problema, e que na hora certa, eu estaria lá presente. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse ao Samuel que não havia problema, e que na hora certa, eu estaria lá presente.
  3. Então o Samuel se despediu de mim e saiu. Mais tarde, por volta das 20h50mn, os demónios em mim me disseram na mente para eu ir silenciosamente até ao pé da porta do quarto do Inácio, aonde o Inácio estava sentado com a porta aberta, a dar um Estudo Bíblico à Eydira, e me disseram para eu ficar ocultamente a escutar um pouco sobre o que eles falavam. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fui silenciosamente até ao pé da porta do quarto do Inácio, aonde o Inácio estava sentado com a porta aberta, a dar um Estudo Bíblico à Eydira, e eu fiquei ocultamente a escutar um pouco sobre o que eles falavam.
  4. Então notei que falavam sobre a necessidade de urgente fortalecimento pessoal da Eydira na Fé e de como ela (Eydira) poderia ganhar rápidamente discernimento necessário para se livrar de cair em tentações demoníacas e para ela não mais concordar com os demónios que me bloqueavam, sob pena de cair em grande ruína.
  5. Em seguida, os demónios em mim me disseram na mente para eu, sem entrar no quarto e sem interferir no Estudo Bíblico deles, enganar o Inácio e a Eydira dizendo-lhes que eu iria até ao apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) falar com ela acerca de uma carta para a Igreja que ela precisava que eu lhe fizesse com urgência, e que eu iria regressar o mais breve possível, e para eu dizer tudo isso para assim eu conseguir ir para a reunião secreta no apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), sem levantar suspeitas. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e, sem entrar no quarto, eu enganei o Inácio e a Eydira dizendo-lhes que eu iria até ao apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) falar com ela acerca de uma carta para a Igreja que ela precisava que eu lhe fizesse com urgência, e que eu iria regressar o mais breve possível, e eu disse tudo isso para assim eu conseguir ir para a reunião secreta no apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), sem levantar suspeitas.
  6. Então o Inácio e a Eydira me disseram que não havia problema, e continuaram o Estudo Bíblico que estavam a ter. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu sair do apartamento do Inácio, descer as escadas rumo ao apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e lá chegado, ficar a bater à porta. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu saí do apartamento do Inácio, desci as escadas rumo ao apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e lá chegado, fiquei a bater à porta.
  7. Enquanto eu batia à porta do apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), os demónios em mim me disseram na mente que o Inácio mimava e insistia demais com a Eydira, dando-lhe constantes estudos e conselhos Bíblicos, tudo para tentar levar-lhe a ser justa e santa, como se ele estivesse a tentar forçar a Eydira a se tornar numa mulher boa, mas que sinceramente ele (Inácio) estava a perder seu tempo, porque a Eydira nunca considerava a nenhum esforço bom feito em seu favor, para lhe ajudar, e mais cedo ou mais tarde, o Inácio iria se decepcionar sériamente e “quebrar a cara” em relação à Eydira. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu pensei comigo mesmo que o Inácio mimava e insistia demais com a Eydira, dando-lhe constantes estudos e conselhos Bíblicos, tudo para tentar levar-lhe a ser justa e santa, como se ele estivesse a tentar forçar a Eydira a se tornar numa mulher boa, mas que sinceramente ele (Inácio) estava a perder  seu tempo, porque a Eydira nunca considerava a nenhum esforço bom feito em seu favor, para lhe ajudar, e mais cedo ou mais tarde, o Inácio iria se decepcionar sériamente e “quebrar a cara” em relação à Eydira.
  8. Também os demónios em mim me disseram na mente que o Inácio agora estava muito empenhado em tentar proteger a Eydira de mim e dos demónios que constantemente me bloqueavam, mas que sinceramente ele (Inácio) estava a perder o seu tempo, porque a Eydira nunca seria uma justa, e isso era a opinião geral não só de mim mas também de toda a CRASDT, porque a Eydira nunca realmente se esforçou nesse sentido, mas sempre andou a reboque de outras pedras um pouco mais possantes do que ela na Fé, dentro da CRASDT. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu pensei comigo mesmo que o Inácio agora estava muito empenhado em tentar proteger a Eydira de mim e dos demónios que constantemente me bloqueavam, mas que sinceramente ele (Inácio) estava a perder o seu tempo, porque a Eydira nunca seria uma justa, e isso era a opinião geral não só de mim mas também de toda a CRASDT, porque a Eydira nunca realmente se esforçou nesse sentido, mas sempre andou a reboque de outras pedras um pouco mais possantes do que ela na Fé, dentro da CRASDT.
  9. Ao mesmo tempo, os demónios em mim me deram grande inveja da Eydira, dizendo-me na mente que muitas vezes ela recebia muito mais atenção e aconselhamento da parte do Inácio, do que eu mesmo recebia do Inácio, e que o Inácio como que parecia ter alguma esperança futura muito boa em relação à Eydira, já que ele buscava proteger e aconselhar muito, a Eydira, e andava sempre bastante preocupado com ela, mais do que comigo. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a sentir grande inveja da Eydira, achando na mente que muitas vezes ela recebia muito mais atenção e aconselhamento da parte do Inácio, do que eu mesmo recebia do Inácio, e que o Inácio como que parecia ter alguma esperança futura muito boa em relação à Eydira, já que ele buscava proteger e aconselhar muito, a Eydira, e andava sempre bastante preocupado com ela, mais do que comigo.
  10. Ainda, os demónios em mim me deram grande raiva do Inácio, dizendo-me na mente que ele era mau porque ele raramente repreendia a Eydira, que nunca fazia nada de jeito na Igreja e sempre negligenciava a todas as suas tarefas espirituais, mas quanto a mim, ele (Inácio) levava sempre ao fio da espada, repreendendo-me constantemente e mostrando sempre muita desconfiança de mim, como se eu fosse o pior ímpio da CRASDT, só porque eu estava a corromper e a contaminar gravemente a Eydira, em termos espirituais. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a sentir grande raiva do Inácio, achando na mente que ele era mau porque ele raramente repreendia a Eydira, que nunca fazia nada de jeito na Igreja e sempre negligenciava a todas as suas tarefas espirituais, mas quanto a mim, ele (Inácio) levava sempre ao fio da espada, repreendendo-me constantemente e mostrando sempre muita desconfiança de mim, como se eu fosse o pior ímpio da CRASDT, só porque eu estava a corromper e a contaminar gravemente a Eydira, em termos espirituais.
  11. Nisto, o Samuel abriu a porta e me disse, de forma sempre muito sorridente, que ele demorou um pouco, porque estava a acabar de combinar uma coisa com os jovens que já estavam presentes, e pediu para eu entrar na sala daquele apartamento, porque a reunião iria começar já, e os outros membros já haviam chegado quase todos.
  12. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu entrar e ir-me sentar no sofá da sala, e para eu ficar à espera dos outros membros que ainda não haviam chegado, com paciência. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu entrei e fui-me sentar no sofá, e eu fiquei à espera dos outros membros que ainda não haviam chegado, com paciência.
  13. Na sala, para além de mim, estavam sentados o Isaías, o Calú de São Nicolau (Calú SN), o Samuel, o Carlitos, o Zequinha e o Dino Preto. Pouco depois chegaram ao apartamento a Nené, o Admilson Oliveira (Di da Liu) e a Liu. Então chegou a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), vinda do seu quarto. Logo, os demónios em mim me disseram na mente que hoje a “gang furtadora da CRASDT” estava mais completa, em termos de elementos, do que na última reunião que eu havia assistido, e os demónios em mim me deram uma grande vontade de ficar a rir-me por dentro, escarnecendo de todos eles. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu pensei comigo mesmo que hoje a “gang furtadora da CRASDT” estava mais completa, em termos de elementos, do que na última reunião que eu havia assistido, e eu fiquei a rir-me por dentro, escarnecendo de todos eles.
  14. Então a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) tomou a palavra e começou a explicar a todos os presentes que eles estavam todos reunidos porque era necessário que houvesse alguma contenção de despesas da parte de nós os ímpios da CRASDT, visto que muitos dos ímpios da CRASDT, em especial aqueles que estavam naquela reunião, andavam a fazer gastos particulares exagerados, e na CRASDT não havia uma economia capaz de suportar tantos vícios assim, visto que a parte de dinheiro desviada mensalmente para o “fundo negro da CRASDT” (nome que a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) dava ao fundo de dinheiro desviado mensalmente à Igreja), apesar de considerável, mesmo assim não estava a chegar para cobrir a tantos gastos que os ímpios da Igreja faziam.
  15. Também a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que era necessário que houvesse uma maior organização da “gang furtadora da CRASDT”, para evitar várias pequenas “guerrinhas” que estavam a acontecer entre os ímpios da CRASDT que beneficiavam do ”fundo negro da CRASDT”, por causa do montante de dinheiro que deveria ser distribuído a cada um dos ímpios da CRASDT, já que isso estava a causar muitos dissabores internos entre esses ímpios, e era necessário que houvesse uma paz nesse sentido, para evitar que esse escândalo chegasse aos ouvidos do Inácio, porque senão seríamos todos desmascarados públicamente pelo Inácio, e então banidos definitivamente da CRASDT, por roubarmos o “dinheiro santo de DEUS”.
  16. Depois a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que todavia a grande sorte de todos eles (ímpios), é que o Inácio, desde sempre, não tinha qualquer acesso directo nem às contas e nem ao dinheiro da Igreja, mas sim eram somente os ministros da área dos Bens Materiais da CRASDT, liderados por ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)), é que tinham. E práticamente que não havia ninguém realmente a favor do Inácio e com quem ele pudesse contar, dentro da CRASDT, e logo, ficava-lhe quase impossível de conseguir descobrir o terrivel esquema de roubo que nós estávamos a levar a cabo dentro da CRASDT. Mas que mesmo assim deveríamos ser muito cautelosos, já que o Inácio era desconfiado por natureza, e caso ele nos descobrisse, com certeza que o Inácio não nos iria perdoar e pagaríamos muito caro por tudo isso.
  17. O Samuel disse que a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) tinha plena razão, porque todos os ímpios beneficiários do “fundo negro da CRASDT”, estavam a ser demasiado cobiçosos e materialistas demais, e realmente estavam a acontecer muitas disputas, desentendimentos, guerrilhas e divisões internas, porque uns reclamavam que não estavam a receber aquilo que queriam, ou que estavam a receber muito pouco enquanto que outros recebiam mais do que eles, e assim por diante, pelo que era necessáro chegarmos a um equilíbrio sobre isso, para que não houvesse uma desunião clara entre os satanistas da CRASDT (ímpios ou seguidores de satanás, que estavam dentro da CRASDT).
  18. O Calú SN tomou a palavra e disse que isso era verdade, e que caso não consertássemos aquilo, o nosso “paraíso de roubo” iria terminar, ficando todos nós ímpios da CRASDT, em grande penúria. Então, que convinha que fosse feito um Orçamento Secreto Mensal, aonde se decidia o quanto poderia ser disponibilizado a cada ímpio da CRASDT que estava aliado à “gang furtadora da CRASDT”, para assim depois cada ímpio poder desfrutar da sua fatia concreta, e não poder ter direito a mais, mesmo que pedisse.
  19. Em seguida, o Dino Preto interveio e disse que essa proposta do Calú SN não era má, mas que então era necessário que se previsse também uma espécie de verba bem gorda, na qual se incluíssem receitas para fins imprevistos, visto que surgiam constantemente novas despesas para serem feitas em favor da obra satânica de impiedade que estávamos a desenvolver secretamente dentro da CRASDT, e caso não houvesse essa verba, nunca conseguiríamos satisfazer essas despesas extras. A Nené interveio e disse que essa era uma excelente ideia e que ela concordava com a opinião do Dino Preto.
  20. Logo a Liu disse que porém ela (Liu) queria saber exactamente como é que se definiria concretamente a parte que cabia a cada um dos ímpios da CRASDT, nesse Orçamento secreto. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) respondeu dizendo que isso era simples, e que bastava que cada ímpio da CRASDT apresentasse o seu orçamento individual mensal, antecipadamente, mas isso só relativamente aos ímpios ligados à “gang furtadora da CRASDT” (quer por pertencerem a esse gang, quer por serem seus aliados), porque quanto aos outros ímpios (que eram a maioria dentro da CRASDT), que estes ficariam obrigatóriamente de fora, já que não havia dinheiro para todos.
  21. O Samuel então, sempre sorrindo muito, disse claramente que faltava acrescentar um ponto a isso que a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse, e que era também necessário se ponderar que caso algum ímpio não usasse mensalmente a toda a sua parte que lhe cabia no seu Orçamento individual, então que a parte desse ímpio poderia ser usada por algum outro ímpio que dela necessitasse, de forma a assim não dever restar a qualquer dinheiro no “fundo negro da CRASDT”, mas ser esse dinheiro sempre usado.
  22. Logo a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) interveio e disse que nisso o Samuel não tinha razão porque deve-se sempre acautelar o futuro, e por isso mesmo era necessário se ajuntar mensalmente algum dinheiro, para dias futuros, e que nisso, o regime de constante sopa dado à CRASDT, estava a ajudar-nos Muito bem, pois que com essa alimentação muito pobre e à força, nós (ímpios) estávamos a conseguir poupar muitos fundos preciosos, só para nós (ímpios), mas também era necessário acumular algum dinheiro.
  23. Então, os demónios em mim me disseram na mente que nesse ponto a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) falou muito bem, e que felizmente que ela mesma já vinha fazendo isso há já algum tempo, só que ela nunca deixava ninguém saber a extensão total das tramas que ela fazia, e também nunca dizia claramente que ela não estava a ajuntar dinheiro para todos os ímpios da CRASDT, mas sim só para si mesma e para alguns ímpios mais próximos dela. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu pensei comigo mesmo que nesse ponto a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) falou muito bem, e que felizmente que ela mesma já vinha fazendo isso há já algum tempo, só que ela nunca deixava ninguém saber a extensão total das tramas que ela fazia, e também nunca dizia claramente que ela não estava a ajuntar dinheiro para todos os ímpios da CRASDT, mas sim só para si mesma e para alguns ímpios mais próximos dela.
  24. Então o Calú SN disse que a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) realmente falou muito bem, e que o Samuel não tinha razão. Que era pois necessário que nós começássemos urgentemente a trabalhar no sentido de fazermos esse orçamento e começarmos a levá-lo à prática, pelo que era preciso escolherem-se ali mesmo, membros para ficarem a trabalhar efectivamente nessa área. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) respondeu que era isso mesmo, e que uma pessoa que tinha imenso jeito para essas coisas era o Admilson Oliveira (Di da Liu), visto que ele era um Secretário muito bom e poderia ficar responsável por fazer o Orçamento Mensal Geral do “fundo negro da CRASDT”. Que ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) faria porém a lista de cada ímpio beneficiário do “fundo negro da CRASDT”, e depois daria essa lista ao Admilson Oliveira (Di da Liu), para ele poder saber de quem tomaria os Orçamentos individuais mensais.
  25. O Di disse que ele aceitava, mas que ele precisaria de um ajudante, ao que a Nené logo se ofereceu para ser sua ajudante em fazer esse Orçamento Mensal Geral, e sugeriu que todos os ímpios da CRASDT beneficiários, entre os dias 20 a 25 de cada mês, deveriam entregar-lhes (a ela Nené e ao Admilson Oliveira (Di da Liu)) os seus orçamentos individuais, ao que então ela e o Admilson Oliveira (Di da Liu) trabalhariam no Orçamento Mensal Geral, e o poriam pronto entre os dias 25 a 30 ou 31 de cada mês, ao que então entregariam à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) esse Orçamento Mensal Geral, e a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) o administraria, conforme os pedidos de cada um.
  26. O Admilson Oliveira (Di da Liu) porém disse que havendo mensalmente um Orçamento Individual que seria entregue a ele e à Nené, tudo deveria funcionar mediante requisições desses ímpios, só que tais requisições deveriam ser meramente verbais, para não quaisqer ficarem vestígios de papeladas com os negócios obscuros que se faziam dentro da CRASDT. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse exactamente, e que na verdade, mesmo esses Orçamentos Mensais, tanto os individuais como os gerais, deveriam ser imediatamente destruídos no mês seguinte, a fim de nunca ficarem provas de nada.
  27. Logo o Carlitos disse que ele mesmo se encarregaria de destruir tais papéis, queimando-os bem longe do Cenáculo, dissimuladamente junto com outros papéis da Igreja, e o Zequinha disse que ele ajudaria o Carlitos nisso, de forma a nunca restar a qualquer vestígio de nada. Em seguida, o Samuel disse que todavia era necessário que houvessem pessoas para receberem tais requisições verbais. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que ela tomaria algumas requisições verbais, mas que como ela nem sempre estava disponível, então que o Carlitos e o Zequinha, que paravam mais tempo em casa, poderiam receber também as requisições verbais dos ímpios da CRASDT.
  28. Logo a Liu se ofereceu para tomar as requisições das mulheres, de modo a que o Carlitos e o Zequinha tomassem as requisições só dos homens, visto que haviam certas “requisições femininas” que as mulheres poderiam preferir fazer apenas a outras mulheres, ao invés de as fazerem a outros homens. Todos os presentes imediatamente concordaram. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu concordar também com as opiniões de todos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu concordei também com as opiniões de todos.
  29. Depois, o Samuel disse que todavia era também necessário que houvessem pessoas executantes, para entregarem o dinheiro a cada um dos ímpios da CRASDT que beneficiavam do “fundo negro da CRASDT”. Logo a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que esses executantes, continuariam a ser o Carlitos e o Isaías, como sempre, parecendo-lhe que nesse aspecto não era necessário que houvessem mais mudanças. Mas que todos já sabiam que cada um receberia o seu dinheiro para ir fazer as suas compras e despesas particulares, por si mesmo, visto que nenhum ímpio ali presente iria assumir as culpas do outro, caso alguém viesse a ser apanhado com bens secretamente comprados, e por isso, cada um faria as suas próprias compras e despesas, conforme vinha acontecendo, para que cada um assumisse a sua própria culpa, ao ser apanhado. Todos também imediatamente concordaram. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu concordar também com as opiniões de todos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu concordei também com as opiniões de todos.
  30. Então, os demónios em mim me disseram na mente que realmente os jovens estavam a fazer um excelente trabalho, organizando a “gang furtadora da CRASDT” muito bem, de modo a que essa organização satânica secreta funcionasse muito bem dentro da CRASDT, e com grande eficiência. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu pensei comigo mesmo que realmente os jovens estavam a fazer um excelente trabalho, organizando a “gang furtadora da CRASDT” muito bem, de modo a que essa organização satânica secreta funcionasse muito bem dentro da CRASDT, e com grande eficiência.
  31. Depois a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) se virou para mim e me perguntou se eu queria ficar responsável por gerir e administrar esse “fundo negro da CRASDT”, na Ilha do Fogo, visto que os ímpios de lá eram beneficiários também. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que no caso da ilha do Fogo, tudo deveria manter-se tal como estava, ou seja, o Branco, que efectuava constantes viagens de ida e volta no percurso Praia-Fogo-Praia, deveria continuar a levar e trazer consigo e pessoalmente esse dinheiro sujo, de forma a isso não implicar transferências bancárias que nos pudessem levar a ser um dia descobertos, e lá no Fogo, o Silvino continuaria como sendo o depositário desse dinheiro, ao que o Cando o distribuiria conforme a necessidade de cada um, conforme vinha acontecendo até agora, e caso o Cando de momento não estivesse o Fogo, nós (os outros ímpios da CRASDT) nos ajudaríamos nessa distribuição, como sempre fazíamos até agora. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que no caso da ilha do Fogo, tudo deveria manter-se tal como estava, ou seja, o Branco, que efectuava constantes viagens de ida e volta no percurso Praia-Fogo-Praia, deveria continuar a levar e trazer consigo e pessoalmente esse dinheiro sujo, de forma a isso não implicar transferências bancárias que nos pudessem levar a ser um dia descobertos, e lá no Fogo, o Silvino continuaria como sendo o depositário desse dinheiro, ao que o Cando o distribuiria conforme a necessidade de cada um, conforme vinha acontecendo até agora, e caso o Cando de momento não estivesse o Fogo, nós (os outros ímpios da CRASDT) nos ajudaríamos nessa distribuição, como sempre fazíamos até agora.
  32. Também os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e a todos os presentes que eu, como sempre, preferia manter-me afastado dessas gestões e administrações sujas, mas ficar apenas informado de tudo, para assim eu ir acompanhando como é que as coisas iam, e só interferir nalgum caso grave. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e a todos os presentes que eu, como sempre, preferia manter-me afastado dessas gestões e administrações sujas, mas ficar apenas informado de tudo, para assim eu ir acompanhando como é que as coisas iam, e só interferir nalgum caso grave.
  33. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) me disse que então “ok”, e perguntou aos presentes se alguém tinha mais alguma coisa a dizer. Todos (menos o Zequinha) disseram que não. Também os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer que não. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse que não.
  34. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) então perguntou ao Zequinha o que é que ele queria acrescentar. O Zequinha disse que ele não tinha nada contra aquilo que se havia dito, mas que ele apenas queria alertar para o facto de que muitas coisas que os ímpios beneficários do “fundo negro da CRASDT”, andavam a comprar, que depois isso estava a dar alguns problemas na entrada do Cenáculo, visto que sempre tinha-se de se recorrer a porteiros de confiança como o Tó Santos e o Klá, que após combinação, sempre deixavam entrar essas coisas compradas com dinheiro roubado, no Cenáculo, sem as interceptar e sem dizer nada a ninguém. Mas que por vezes estavam outros porteiros menos confiáveis de serviço, e logo os ímpios tinham de ficar muito tempo à espera ou a disfarçar na rua, antes desses porteiros trocarem de turno ou antes de vir alguém de confiança substituir esses porteiros por alguns minutos, para esses ímpios poderem então entrar no Cenáculo rápidamente com as suas “mercadorias sujas”.
  35. Que ele (Zequinha) por isso propunha uma maior combinação entre todos nesse sentido, para evitar que fôssemos descobertos ou pegos pelo Inácio, e houvesse “estrilho” (sarilhos) por todos os lados. Todos concordaram com isso que o Zequinha disse. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu concordar também com as opiniões de todos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu concordei também com as opiniões de todos.
  36. O Carlitos disse que de qualquer forma, o horário mais aconselhável para se entrar com tais coisas no Cenáculo, era o horário dos ensaios em que as coisas ficavam mais calmas no Cenáculo, mas que como nessa altura quase nenhum deles (ímpios presentes na reunião ou seus auxiliares) estava no Cenáculo, tudo ficava bastante complicado, mas que podia-se depois tentar arquitectar algum plano à volta desse horário. Todos também concordaram com isso que o Carlitos disse. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu concordar também com as opiniões de todos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu concordei também com as opiniões de todos.
  37. A Liu disse que realmente isso que o Carltos dissera, deveria ser visto e bem combinado depois, porque durante o dia, por vezes ficava muito difícil de se conseguir entrar no Cenáculo, com tais coisas, por causa da grande movimentação de jovens na varanda do Cenáculo.
  38. O Isaías então disse que ele até ia mais longe, e queria sugerir mesmo que os ímpios beneficiários do “fundo negro da CRASDT” evitassem ao máximo trazer as suas coisas compradas com o dinheiro roubado, para dentro do Cenáculo, já que assim todos teriam menos chances de serem pegos, e não haveria como o Inácio lhes poder descobrir, pelo que todos deveriam consumir essas coisas fora do Cenáculo, visto que grande parte das coisas compradas eram apenas comidas; ou então que esses ímpios poderiam guardar essas coisas, noutra casa qualquer e depois usá-las longe da CRASDT. Todos também concordaram com isso que o Isaías disse. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu concordar também com as opiniões de todos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu concordei também com as opiniões de todos.
  39. Logo a Liu disse que deveria mesmo ficar tudo muito bem organizado, porque aquilo mexia com o bolso de todos eles presentes e ainda de outros ímpios que não estavam presentes naquela reunião, e caso aquele sistema de roubo por alguma razão ficasse frustrado, os ímpios beneficiários do “fundo negro da CRASDT” ficariam sem como poderem alimentar a muitos dos seus vícios e teriam de ficar submetidos ao horrível e rigoroso sistema de controle e de disciplina do Inácio, ao que ficariam todos magros, com fome e sem dinheiro para nada, como o tolo do Inácio estava.
  40. O Calú SN logo disse que era verdade isso que a Liu disse. Então todos riram-se. Imediatamente, os demónios em mim me deram grande vontade de rir-me também, junto com os outros. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a rir-me também, junto com os outros.
  41. Então a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que por hoje convinha pararmos por ali, e que quaisquer outros pontos, depois seriam vistos mais ao pormenor noutro dia, visto que tínhamos de encerrar aquela reunião e irmo-nos todos embora antes do Inácio desconfiar de alguma coisa. E a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) relembrou que na ordem de saída, deveriam sair um a um, com intervalos entre um e outro e sempre vigiando as escadas primeiro, para não levantarmos suspeitas de que nos havíamos acabado de reunir na sala do apartamento da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro).
  42. Todos os jovens disseram que a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) tinha razão sim. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu também dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que ela tinha razão sim. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu também disse à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que ela tinha razão sim.
  43. Então os jovens começaram a sair um a um, à espreita, e o Samuel foi para o seu quarto, até que ficámos apenas eu, a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e o Isaías dentro daquela sala. Então os demónios em mim me disseram na mente para eu perguntar à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), antes de sair, como é que ia o desvio de dinheiro daqueles membros cujo salário ia mensal e directamente para a conta do Centro de Recuperação CRASDT, ou que faziam depósitos nessa e noutras contas da CRASDT, visto que era muito importante que não deixássemos ficar a qualquer rasto de nada, no sistema bancário. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu perguntei à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro), antes de sair, como é que ia o desvio de dinheiro daqueles membros cujo salário ia mensal e directamente para a conta do Centro de Recuperação CRASDT, ou que faziam depósitos nessa e noutras contas da CRASDT, visto que era muito importante que não deixássemos ficar a qualquer rasto de nada, no sistema bancário.
  44. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) me disse que quanto a isso, eu não me deveria preocupar, visto que nunca se encontraria nenhum vestígio sobre isso, porque ela continuava a desviar esses dinheiros não na entrada, mas na saída, visto que ela mandava o Isaías e o Carlitos fazerem-lhe levantamentos nas contas do BCA, e quando lhe davam o dinheiro, ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) repartia o dinheiro vivo, uma parte para as despesas normais da CRASDT, outra parte para o “fundo negro da CRASDT”, e então o Isaías ia fazer os depósitos respectivos no “fundo negro da CRASDT”, numa conta sita no BCN, aberta em nome de uma outra pessoa que não ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)).
  45. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que eu pensava que ela havia aberto uma conta em seu próprio nome no BCN. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu perguntei à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que eu pensava que ela havia aberto uma conta em seu próprio nome no BCN.
  46. Então a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) se riu e me disse claro que ela não havia aberto uma conta no BCN em seu nome, e que se ela realmente o tivesse feito, então ela seria uma tola de todo o tamanho, visto que ela conhece muito bem o funcionamento do sistema financeiro, e ela jamais iria permitir que ficassem rastos daquilo que ela fez, e que não era à toa que ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) era uma pessoa muito inteligente. Que pelo contrário, ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) usou uma outra pessoa para abrir essa conta, mas que isso era um segredo que ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) tinha consigo guardado, muito bem.
  47. Em seguida, os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que ela estava a agir muitíssimo bem, porque eu não queria que restasse a qualquer prova que nos pudesse incriminar depois, caso algum dia nós fôssemos descobertos. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que ela estava a agir muitíssimo bem, porque eu não queria que restasse a qualquer prova que nos pudesse incriminar depois, caso algum dia nós fôssemos descobertos.
  48. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) logo disse nem eu, e o Isaías repetiu o mesmo. Logo eles riram-se. Imediatamente, os demónios em mim me deram grande vontade de rir-me também, junto com os outros. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a rir-me também, junto com os outros.
  49. Depois a Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) me disse que assim, o dinheiro depositado na Igreja aos Sábados, era logo desviado pouco antes de se fazerem as contas na Igreja, enquanto que o dinheiro depositado directamente nos bancos, era desviado ao ser levantado, visto que ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) repartia pessoalmente uma parte para a CRASDT, e outra parte para o “fundo negro da CRASDT”. Depois ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) e a sua equipa de colaboradores, encobriam a todos esses desfalques, apresentando muito de tempo em tempo, um Balanço falso mas aparentemente correcto, ao que aceitando-o a CRASDT, não havendo quem pudesse contrariar as contas apresentadas, e não suspeitando ninguém de nada, ficava tudo encoberto para sempre, e aparentemente ninguém conseguia reparar que haviam sido cometidos esses furtos.
  50. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que assim, só lhe poderiam algum dia denunciar, as pessoas que estavam envolvidas nesse esquema junto com ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)), mas isso ela (Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro)) sabia e estava muitíssimo segura de que nunca iria acontecer, já que éramos todos ímpios de altíssimo grau de hipocrisia. E também nunca ninguém descobriria nada nem suspeitaria de nada, visto que como aparentemente muitos de nós tínhamos fundos consagrados à CRASDT, pareceria aos olhos do público que nós éramos pessoas totalmente desinteressadas em dinheiro, já que senão então simplesmente nós não consagraríamos os nossos dinheiros, mas apenas comeríamos directamente deles, sem tomar nada à CRASDT.
  51. Logo, os demónios em mim me disseram na mente para eu dizer à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que essa farsa da nossa Consagração de Bens, tinha porém de continuar por mais algum tempo, visto que era exactamente por essa via que um dia iríamos acusar falsamente o Inácio de estar a tomar injustamente dinheiro dos membros da Igreja, mas que por enquanto não tínhamos prejuízo, porque aquilo que dávamos à Igreja às claras, nós depois tomávamos em oculto, e mais avante chegaria a altura em que não precisaríamos mais de fingir que éramos a favor da Consagração de Bens, e poderíamos ficar com o nosso dinheiro só para nós, e ainda beneficiaríamos do dinheiro roubado que havíamos acumulado. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu disse à Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) que essa farsa da nossa Consagração de Bens, tinha porém de continuar por mais algum tempo, visto que era exactamente por essa via que um dia iríamos acusar falsamente o Inácio de estar a tomar injustamente dinheiro dos membros da Igreja, mas que por enquanto não tínhamos prejuízo, porque aquilo que dávamos à Igreja às claras, na verdade nós depois tomávamos em oculto, e mais avante chegaria a altura em que não precisaríamos mais de fingir que éramos a favor da Consagração de Bens, e poderíamos ficar com o nosso dinheiro só para nós, e ainda beneficiaríamos do dinheiro roubado que havíamos acumulado.
  52. A Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) disse que eu tinha razão sim e que eu havia falado uma grande verdade. Logo o Isaías disse que só agora é que ele confirmou que afinal a nossa Consagração de Bens era uma farsa, já que antes ele apenas supeitava, mas agora ele já entendeu tudo. Logo eles riram-se. Imediatamente, os demónios em mim me deram grande vontade de rir-me também, junto com os outros. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a rir-me também, junto com os outros.
  53. Então, os demónios em mim me disseram na mente para eu despedir-me da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e do Isaías, e vir para o apartamento do Inácio, deixando-os lá os dois, naquela sala. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu despedi-me da Elsa (que hoje se esconde no Facebook atrás do nome falso de Priscilla Monteiro) e do Isaías, e vim para o apartamento do Inácio, deixando-os lá os dois, naquela sala.
  54. Assim que eu cheguei ao apartamento do Inácio, eu achei a porta do quarto do Inácio fechada e vim directamente para o meu quarto, aonde eu achei a Eydira sentada a ler umas coisas que tinha anotado no seu caderno. Logo os demónios em mim me disseram na mente para eu perguntar à Eydira o que é que ela estava a fazer. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu perguntei à Eydira o que é que ela estava a fazer.
  55. Logo a Eydira respondeu alegremente que ela estava a reflectir no Estudo Bíblico que o Inácio lhe havia acabado de dar, e que realmente aquilo era muito benéfico e importante para ela, visto que lhe ajudaria imenso a sair da situação de grande apostasia em que ela (Eydira) se encontrava, por tanto concordar com as minhas maldades e com os demónios que se manifestavam frequentemente em mim. A Eydira me disse que realmente ela (Eydira) estava muito grata ao Inácio, por toda atenção e carinho que o Inácio lhe dava, como seu bom pai espiritual, apesar dela nunca ter sido fiel, mas que ela (Eydira) esperava que um dia ela ainda viesse sinceramente a ajudar o Inácio e não a combatê-lo, conforme ela (Eydira) vinha fazendo até ali. Que lhe admirava muito como é que até ainda o Inácio insistia em lhe ajudar, mesmo apesar de todo o Mal que ela (Eydira) consciente e injustamente havia feito ao Inácio e à CRASDT, junto comigo, na ilha do Fogo.
  56. Logo os demónios em mim me deram uma grande raiva da Eydira por ela estar a defender e a honrar o Inácio e a querer mostrar-lhe gratidão e me disseram na mente que a Eydira, como sempre, tinha uma mente muito inconstante, ora estando do lado do Inácio e de DEUS, ora estando do lado de mim e dos demónios, mas um dia eu ainda lhe levaria a ficar com uma mente má e diabólica, totalmente como a minha, e a ver o Inácio como um monstro horrível de sete cabeças, como eu e vários ímpios dentro da CRASDT víamos, e a combater ferozmente o Inácio, tal como nós (os satanistas mais experientes da CRASDT) costumávamos fazer dia e noite. Eu livre e conscientemente, concordei com os demónios em mim e eu fiquei a sentir uma grande raiva da Eydira por ela estar a defender e a honrar o Inácio e a querer mostrar-lhe gratidão e eu pensei comigo mesmo que a Eydira, como sempre, tinha uma mente muito inconstante, ora estando do lado do Inácio e de DEUS, ora estando do lado de mim e dos demónios, mas um dia eu ainda lhe levaria a ficar com uma mente má e diabólica, totalmente como a minha, e a ver o Inácio como um monstro horrível de sete cabeças, como eu e vários ímpios dentro da CRASDT víamos, e a combater ferozmente o Inácio, tal como nós (os satanistas mais experientes da CRASDT) costumávamos fazer dia e noite.
  57. Assim terminou este episódio.
  58. Todos os pecados que eu acima relatei, ao longo desta carta, os demónios em mim me incitaram na mente a depois nunca confessá-los para ninguém, em especial para o Inácio, mas sim a guardá-los a todos só na minha mente. Eu, livre e conscientemente, sempre concordei com os demónios em mim e eu nunca confessei a nenhum dos pecados que eu acima relatei, ao longo desta carta, para ninguém, em especial para o Inácio, e eu guardei a todos estes pecados, só na minha mente, até agora.

Nota: Seguem-se os nomes dos Membros que participaram activamente na reunião do Ministério de Iniquidade, relatada nesta minha confissão, que agora aceitaram livremente confirmar e assinar, como minhas testemunhas da ocorrência dessa reunião e dos assuntos tratados ao longo dessa reunião, conforme descritos nesta minha confissão.

Cecílio Vieira Semedo (Dino Preto)

____________________________________________________________________

 

Etelvina Pereira Semedo Vieira (Nené)

____________________________________________________________________

 

Isaías Lopes de Brito (Isaías)

____________________________________________________________________

Ponta D’Água, 27 de Julho de 2016

O Confesso

_______________________________________________________

/ Amândio Honório de Jesus Delgado de Brito /

Seguem-se os nomes das testemunhas que confirmam, a minha livre e espontânea vontade e decisão, em Confessar e Publicar esta minha confissão:

____________________________________________________________________

____________________________________________________________________

____________________________________________________________________

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.