Brava está habituada aos sismos, não está habituada as medidas de prevenção

3/08/2016 08:46 - Modificado em 3/08/2016 14:45

Reuniao-governo-BravaGoverno cabo-verdiano criou hoje um gabinete de crise para acompanhar a situação na ilha da Brava, que regista atividade sísmica desde segunda-feira, e admite como “provável” a ocorrência de uma erupção vulcânica “nas próximas horas”. 

Esta medida está baseada nos dados do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) que apontam para o intensificar da atividade sísmica na ilha Brava e, que caso essa atividade se mantenha, poderemos, eventualmente, vir a ter uma erupção na ilha e nas próximas horas”. Mas sobretudo porque o anterior governo tinha sido alertado pelo INMG em 2014 sobre a possibilidade do vulcão do Fogo entrar em erupção e não vez caso. Este governo segue os dados dos técnicos e decretou o estado de alerta adequado e criou  um gabinete de crise formado pelos os ministros da Defesa, Luís Filipe Tavares, da Saúde, Arlindo do Rosário, Eunice  Silva  das Infraestruturas, Gilberto Silva da Agricultura e Ambiente, e o presidente do Serviço Nacional de Proteção Civil (SNPC) de Cabo Verde, Arlindo Lima.

O ministro  do interior indicou que os epicentros dos tremores de terra estão localizados no interior da ilha da Brava, nas encostas das localidades de Cova Joana e Benfica, a cerca de dois quilómetros de profundidade.

O ministro recomendou calma, tranquilidade e estreita colaboração das pessoas com as autoridades locais, que se encontram reunidas para definir os próximos passos a dar na ilha da Brava, vizinha da ilha do Fogo, que registou uma erupção vulcânica em setembro de 2014 até fevereiro de 2015, com inúmeros estragos, mas sem registo de vítimas.

  1. Das Infraestruturas Sara Lopes? Corrijam se faz favor.

  2. Nelson Cardoso

    Mais uma vez, “o Governo anterior”, para k? Esta noticia contradiz ao k foi dito no Jornal da TCV às 13h00

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.