Familiares e amigos das vítimas do naufrágio surpresos com o arquivamento do processo

2/08/2016 07:59 - Modificado em 2/08/2016 07:59

vicenteO falecido comandante do Navio Vicente foi o culpado pela tragédia do afundamento do Navio Vicente no dia 8 de Janeiro de 2014 no cais do Vale dos Cavaleiros. Isto, segundo os resultados do processo-crime arquivado pelo Ministério Público que considerou o comandante como autor material e singular de crimes de homicídio negligente. Sobreviventes, familiares e amigos das vítimas do naufrágio estão incrédulos e surpresos com o desfecho do caso que ceifou a vida de quinze pessoas e deixou várias famílias desamparadas. Para os entrevistados, o arquivamento do processo foi uma injustiça para com os familiares que muito apelaram por justiça.

É com muita tristeza e consternação que os familiares das vítimas do naufrágio recordam o  acidente do afundamento do Navio Vicente no Porto do Vale  dos Cavaleiros, ilha Fogo, com 26 passageiros, tendo morrido quinze pessoas.

Um ano e sete meses após o acidente, sobreviventes, familiares e amigos recebem a notícia do arquivamento do processo-crime, isto por se ter considerado a existência de indícios suficientes da prática em autoria material singular de 14 crimes de homicídio negligente. Assim sendo, a responsabilidade toda recaiu sobre o comandante do navio.

“É fácil atribuir a culpa a um defunto”, foi assim que reagiram à informação. Incrédulos no desfecho do caso, os entrevistados dizem-se injustiçados e prometem mais uma vez não cruzar os braços. Aricson, um dos sobreviventes, diz-se indignado e injustiçado com a situação.

Contudo, Cirilo Cidário, porta-voz dos familiares contactados pelo NN, reagiu com surpresa à notícia do arquivamento e prometeu reagir dentro de dias.

Depois de morto, o comandante Cláudio Manuel Ferrero Gonzales, de origem cubana, foi responsabilizado por catorze crimes de homicídio negligente. Ainda assim, de acordo com o despacho, “a responsabilidade civil extracontratual pelo risco não se extingue com a morte do comandante, podendo os representantes legais das vítimas accioná-la judicialmente, respondendo os bens que houver deixado e solidariamente ao armador”.

  1. Mindelo

    Ulisses tem Solução. Ou tinha?
    O MPD quando chega ao governo ninguém mais ganha um caso nos tribunais.
    Quem não lembra dos anos 90?
    Muitos vão pedir já o eu voto de volta. Vão cantar…Ai se eu sabia….

  2. Tomem lá criolos idiotas e metam o vosso voto lá naquele lugar. Agora vão ao Tribunal e por favor peçam aos mentirosos do MPD, o Ulisses, a Ministra Edith Silva e o Jorge Nogueira que vos sugou até o tutano para vos ajudar. Oh familiares idiotas, não ponham advogados que não sejam do MPD, Dico e Carlos Veiga estão à vossa espera. Já viram que o Governo da altura tinha razão. Mas como são burros e acima de tudo uns bons ladrões que queriam aproveitar a morte dos familiares para mamarem no Estado. Agora vão mamar nas mamas das pessoas do MPD que vocês conhecem muito bem e que vos mamou bem mamado. Estúpidos familiares e bons candidatos a ladrões. Chupem o que é bom. Chamem o MPD, gritem à vontade porque esses vocês não vão ver nunca mais. Aahahaha. macacos alados.

  3. Caros compatriotas. O Ulisses é perigoso. É preciso contê-lo e controlá-lo. A via é colocar no poder noutros orgâos que fazem política em Cabo Verde gente de outros partidos políticos, principalmente nas Câmaras Municipais. O Ulisses é tão perigoso para o país que ele acabou de dizer no parlamento que está pensando convidar o Zé Maria Neves para ser embaixador. Coisas do tipo em política só lembraria ao diabo. Tudo para poder defender mais colocação de outros embaixadores políticos e assim arrasar os embaixadores de carreira. Repito o Ulisses é perigoso, hoje não tenho dúvidas. Precisa de travões com urgência. Os travões para o Ulisses são a eleição do Presidente da República e as Câmaras Municipais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.