Baía das Gatas 2016: Vasco Martins regressa ao palco

1/08/2016 08:45 - Modificado em 1/08/2016 08:45

vasco martinsO XXXII Festival Internacional de Música da Baía das Gatas, na Ilha de São Vicente, Cabo Verde, começa daqui a menos de duas semanas sob o lema “Pela igualdade e diversidade cultural”, como forma de respeitar os direitos e as escolhas de cada um.

Esta 32ª edição do Festival da Baía das Gatas terá abertura prevista por um dos seus fundadores em 1984, Vasco Martins, uma das presenças assíduas do certame que está agendado para os dias 12, 13 e 14 de Agosto, ou seja, daqui a menos de duas semanas

Vasco Martins pode ser considerado como único. Compositor que nega rotulagens, pode ser considerado como músico clássico devido às suas incursões na música para orquestra sinfónica, mas também pode ser considerado como músico new age devido a composições de carácter instrumental, sobretudo utilizando sintetizadores mas, quer num caso quer noutro, sempre se inspirou na música tradicional cabo-verdiana.

Autodidacta, começa os seus estudos em 1974. Ingressa no grupo musical Colá, em 1976, mas segue depois para Portugal e, seguidamente, para França para prosseguir a sua formação musical.

Em 1979 grava o seu primeiro LP, Vibrações. De regresso a Cabo Verde é aí que cria a maior parte da sua obra não só como compositor e instrumentista, mas também como musicólogo e produtor. De momento, é um dos raros músicos em Cabo Verde cuja principal ocupação profissional reside apenas na música.

O seu último disco, Twelve Moons foi lançado em 2014.

Em 2010, fez a abertura do Festival da Baía das Gatas com o quarteto de cordas de Lisboa Artzen e gravou o álbum ‘Li Sin’ (2010).

O Festival da Baía das Gatas que teve a sua primeira edição em Agosto de 1984, é realizado anualmente na praia com o mesmo nome, no Mindelo, e só não se realizou em 1995, devido a uma epidemia de cólera que assolou Cabo Verde.

  1. Joaquim ALMEIDA

    Vasco MARTINS é um dos PIONEIROS fundadores do festival da BAIA DAS GATAS , o primeiro festival de mùsica em Cabo Verde que merece todo o respeito das manifestaçoes cultural , seja qual for o tipo de festival organizado no nosso pais !..Nao devemos esquecer as dificuldades de toda ordem que tiveram ,” digo que tiveram ” porque houve mais elementos na sua fundaçao provando que a cultura de Cabo Verde particularmente a sua mùsica , subsiste gràças à ideia e os sacrificios desses PIONEIROS e que deviam ser todos convidados todos os anos a estarem presentes no festival !..Neste aspeto , os responsàveis pela nossa cultura sobretudo nas manifestaçoes , têm tendência em esquecer aqueles que têm feito algo , em prol da nossa cultura , da cultura de CABO VERDE !.. Um Criol na Frânça ; Morgadinho !..

  2. Dje Guebara

    Felicidades Vasco Martins descendende das familias que tanto fez por San Vicente tais como “João Cleofas Martins” ti – Djunga Fotografo. Os nossos grandes nunca serão esquecidas.Luiz Morais, Bana, Frank Cavaquinho, Morgadinho, Titina, Cesària, Ti-Goy, Ildo Lobo, Humbertona, Tazinho, Djosinha, Armando Tito, Paulino, Zeca Nha Reinalda, Bebeto, Manel D’Novas enfim toda a gama de cantores e compozitores das nossas ilhas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.