ULCS: “PAICV não pode cobrar aquilo que não fez por Chã das Caldeiras”

28/07/2016 07:58 - Modificado em 28/07/2016 07:58
| Comentários fechados em ULCS: “PAICV não pode cobrar aquilo que não fez por Chã das Caldeiras”

ulisses fogo1O Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, assegura que em dois meses de governação, o MpD fez mais pela população de Chã das Caldeiras, no Fogo, do que o PAICV num ano e quatro meses. Desta forma, o Chefe do Executivo refuta as acusações da oposição que o actual Governo não está a cumprir com o estipulado na campanha eleitoral.

“Já temos prontos para embarcar os materiais para a adega provisória, de forma a salvarmos a produção do vinho. Há uma mobilização de um milhão de euros para a sua construção definitiva e para a implementação do sistema de produção e distribuição de água, os novos assentamentos já estão identificados”, esclarece o 1º Ministro em entrevista à RCV sobre a actuação do Governo em Chã das Caldeiras. Com estas afirmações, Ulisses Correia e Silva diz estranhar a atitude do PAICV que esteve em inacção comparativamente ao MpD que, em dois meses de governação, está a agir para que seja restabelecida a actividade económica e a rotina em Chã das Caldeiras.

 O Chefe do Governo esclarece que o Governo não suspendeu a entrega das cestas básicas, mas sim passou a atribuir subsídios monetários às famílias tendo em conta a realidade de cada uma e que “constatámos que havia pessoas com rendimentos elevados a usufruírem dos benefícios. Assim sendo, todos aqueles que precisem efectivamente da ajuda do Estado vão ser assegurados”, justifica Ulisses Correia e Silva.

 O deputado do MpD, Jorge Nogueira, por sua vez, acredita que o PAICV quer desinformar a população de Chã das Caldeiras e adianta à Inforpress que “nas vésperas das eleições autárquicas, o PAICV quer desorientar ainda mais a sofrida população de Chã das Caldeiras”, uma vez que acredita que em cinco meses o Governo financiará os projectos destinados às famílias e que estas conseguirão retomar a sua “vida normal” sem recorrer aos apoios do Estado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.