Fonte Francês: Moradores exigem demolição de pardieiro abandonado

26/07/2016 08:55 - Modificado em 26/07/2016 08:55

20160725_170415_resizedUm pardieiro abandonado na zona de Fonte Francês, Sindicato, preocupa os moradores que se dizem incomodados com a infestação de mosquitos e de lixo depositado numa habitação em construção há mais de dez anos. Os entrevistados que se mostram preocupados com a saúde, apelam pela intervenção das autoridades sanitárias e exigem a demolição do pardieiro.

Os moradores da zona de Fonte Francês estão preocupados com a quantidade de lixo amontoado numa residência em construção. Para além de depósito do lixo, o local serve de esconderijo de bandidos. Com a chegada da época das chuvas, os entrevistados temem pela saúde e apelam pela urgente intervenção por parte das autoridades sanitárias.

Segundo os residentes, vizinhos de outras redondezas utilizam o espaço como depósito de lixo. Para além do difícil acesso, crianças e bandidos apoiam-se nas paredes e conseguem aceder ao local. In loco constatámos todo o tipo de lixo, desde restos de animais mortos, a necessidades fisiológicas, roupas, contentores.

Há mais de dez anos que os moradores da zona de Sindicato, Fonte Francês, sofrem consequências devidas a uma habitação em construção. O pardieiro fica situado entre outras habitações e uma oficina de carpintaria e encontra-se completamente cheio de lixo, para além de árvores que ali cresceram.

Os moradores dizem-se preocupados com a situação, pois não podem abrir as janelas devido ao cheiro nauseabundo e à infestação de mosquitos. Zeca acredita que o problema só será resolvido com a demolição do pardieiro. O mesmo avança que o espaço serve de esconderijo de bandidos, pois é ali que se refugiam para fumar, guardar objectos roubados e até para se esconderem da Polícia quando procurados.

Sabe-se que os proprietários da habitação encontram-se fora do País mas que nunca fizeram nada para resolverem a situação que incomoda os moradores que acreditam tratar-se de um problema de saúde pública.

Janilda que vive numa habitação mesmo ao lado do pardieiro diz-se preocupada, pois tem várias crianças em casa e a situação pode trazer consequências sérias para a saúde da sua família, por isso, apela pela intervenção da Câmara Municipal de São Vicente e das autoridades de saúde de São Vicente.

Maria do Livramento acrescenta que o problema arrasta-se há vários anos e que quem sofre são os moradores. “A minha casa está cheia de mosquitos e com o calor que faz não posso abrir as janelas, porque a quantidade de mosquitos e de mau cheiro não nos deixa em paz”.

Apesar destas situações relatadas pelos moradores, os mesmos gostariam de ver as ruas calcetadas para o bem da comunidade, pois as obras de calcetamento não chegaram à rua. Apesar das diferentes reclamações, continuam a sofrer com a quantidade de terra que entra nas residências.

  1. Dje Guebara

    Negros não servem para governar. He dicho:

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.