Mário Lúcio : “ o Mindelact é um património do Estado”

8/09/2012 00:45 - Modificado em 8/09/2012 00:45

Levantou-se a cortina sobre a 18ª edição do Festival Internacional de Teatro Mindelact. Dezoitos anos “idade de maturidade” e de ser responsabilizado pelos seus actos, de acordo com João Branco, presidente do Mindelact.

Branco traz para a cena a importância do Ministério da Cultura ao assumir “um papel preponderante” na realização desta edição e na continuidade do festival.

O Ministro da Cultura, Mário Lúcio, que presidiu a abertura ao festival, vê o Mindelact numa perspectiva de inclusão cultural onde ninguém é deixado de fora. “Que este país seja a casa do mundo, casa do encontro das culturas”. È o desejo do ministro, que todos se possam sentir em casa. E fala do Mindelact como um “património do estado” que deve ser preservado. O Ministro defende que é preciso garantir a sustentabilidade financeira deste evento do mundo que seja uma forma de “ o mundo se encontrar no Mindelo “

E garante que estão a concretizar para que “haja um contracto- programa longo prazo que garante a realização de um evento mundial”.

De 7 a 15 são cerca de 40 espectáculos pra todos as idades. Nesta próxima literalmente Mindelo vai transformar numa sala de espectáculo com actores de três continentes.

  1. Valdemar Pereira

    Parabéns ao Dr. João Branco, o “Homem Orquestra” do Mindelact, pelo quanto tem feito até agora em prol da Cultura cabo-verdiana (e não sô), esperando que os espectàculos futuros sejam cada vez melhores para superior enquadramento do Conjunto na escala internacional.
    Votos ainda mais sinceros para que essa Casa, onde mora a Arte Pura, tenha a ajuda e o reconhecimento de quem de direito.
    E, na tradição do teatro, para dar a sorte, digo-lhe bem alto a palavra de Cambrone;
    Valdemar Pereira
    França

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.