Laginha: bombeiros chamados para prestarem assistência a banhistas

18/07/2016 08:45 - Modificado em 18/07/2016 08:45

LaginhaAfogamento, epilepsia e queda de açúcar obrigaram , neste sábado, a intervenção  de um médico, do salva  vidas  para prestar a assistência a três pessoas. O que obrigou a ambulância a ir três vezes a praia da Laginha.

“Eu estava num momento de lazer, mas tive de intervir porque a situação era crítica” afirma um salva-vidas que estava na Laginha no momento em que foi necessário reanimar um jovem que “ quase não tinha sinais vitais” depois de ter sido retirado do mar por um banhista que o encontrou inanimado debaixo de água.

Um dos salva-vidas que se encontrava de serviço disse que “ ninguém morreu porque no caso mais grave estava um médico no local que assistiu o rapaz e de seguida veio a ambulância”. Relativamente aos outros acontecimentos, chama a atenção para os “casos como a epilepsia que no mar pode ser fatal”.

A quantidade de pessoas que frequenta aquela praia nesta época do ano aumenta significativamente e os nadadores-salvadores sentem-se impotentes perante determinadas situações e afirmam que “houve ampliação da praia, um aumento dos banhistas, mas os salva-vidas ficaram para trás”.

Reclamam por melhores condições para poderem garantir a segurança das pessoas nas praias porque, segundo eles, “vestir a camisola de salva-vidas não é suficiente”, precisam de muito mais para poderem fazer bem o próprio trabalho. Entre as reivindicações falam da “necessidade de um kit de reanimação que é fundamental quando há afogamentos, como no caso de hoje”.

Para além dos recursos materiais, segundo os salva-vidas há, nesta época, necessidade de mais “olhos” nas praias.

  1. Dje Guebara

    Parabèns para o mèdico que encontra no sitio apropiado e no momento exacto. o Doutor deve ser considerado como um hèroi por salvar este individo à vida. Felecidades Senhor Doutor.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.