Emanuel Trovoada promove “Campus Talentos” nalgumas ilhas de Cabo Verde

8/07/2016 08:05 - Modificado em 8/07/2016 08:05
| Comentários fechados em Emanuel Trovoada promove “Campus Talentos” nalgumas ilhas de Cabo Verde

trovoadaEmanuel Trovoada, antigo seleccionador de basquetebol de Cabo Verde encontra-se no País a promover uma acção de formação para jovens basquetebolistas, bem como técnicos e treinadores da modalidade. O projecto conta com o apoio da Unitel T+ e da Edi Walter Tavares entre outras entidades.

Em São Vicente desde o dia 04 de Julho, Trovoada afirma que a sua presença no País mira a busca do melhoramento técnico dos talentos que existem em Cabo Verde. “Através do acompanhamento dos seus técnicos, treinadores e monitores, podemos elevar um pouco mais a qualidade técnica desses jogadores e tem sido uma experiência fantástica”, diz.

“Aqui em São Vicente apareceram muitos jovens com vontade de apreender e de melhorar. É de salutar que Cabo Verde tem bons talentos e cabe agora aos técnicos que aqui estão, o poder de os polir”.

Como se formam os atletas? Que valores gostas de transmitir aos jogadores?

Os atletas formam-se com base em bons valores. E tenho a humildade de trabalhar todos os dias de forma a passar estes valores. A disciplina, a humildade, a atitude, a dedicação, a concentração, a organização, o respeito pelo próximo e pelo adversário, a confiança em trabalhar em grupo, ter objectivos, são esses os valores fundamentais que gosto de passar aos meus jogadores.

A formação depende de todos e não só dos pais e o desporto é uma excelente ferramenta para criar uma juventude mais sã para o futuro e, através do desporto, tento passar estes princípios.

Além da parte competitiva, trabalha também a parte pedagógica?

Sim. Dou-lhes responsabilidade, incuto a disciplina e ao mesmo tempo dou-lhes liberdade de se divertirem de forma a terem prazer no que fazem. Através do desporto é possível também afastá-los dos maus caminhos.

Com o desporto, trabalhamos o futuro com mais disciplina, objectivos e espírito de confiança e é com esse intuito que estamos aqui a trabalhar e iremos no domingo para Santo Antão e depois para o Sal e será sempre nos mesmos moldes.

Este projecto engloba todo o País?

Infelizmente não é possível, mas gostaria de ir a todas as ilhas. Se conseguir mudar o voo estarei disponível para as outras ilhas como Boavista, Maio e Fogo, de onde tenho convites.

O que falta para poder ter mais pessoas a jogar?

Talentos há muitos. O que falta é mais formação e isto é um desafio que a Federação está a par e, para melhorar, é preciso investir na formação tanto a nível de jogadores como de treinadores, bem como noutras áreas do desporto. Porque quanto melhor capacitados, melhor será o desempenho dos nossos atletas e cabe ao treinador a busca de melhores conhecimentos para melhorar a sua equipa, porque quem vai representar tudo isso é o atleta.

Se houver melhores formações e um bom trabalho nos clubes, os jogadores conseguem uma boa prestação na selecção. Esses são os objectivos: fazer um bom trabalho de base.

É importante que as escolas de formação consigam dar a Cabo Verde talentos para que, daqui a alguns anos, consigam estar na fila da frente representando o País.

Planos para continuar o projecto?

Sim, já tenho planos para regressar a Cabo Verde no próximo ano e continuar este projecto. Existe ainda a vantagem de gostar de Cabo Verde, portanto, é com muito prazer que passo este conhecimento e também aprendo com eles.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.