Grupo de cidadãos faz abaixo assinado em defesa do património histórico do Mindelo

29/06/2016 08:18 - Modificado em 29/06/2016 08:18

mindeloCidadãos mindelenses “preocupados com o incumprimento por parte da Câmara Municipal de São Vicente” fazem circular um abaixo-assinado com o objectivo de pedirem a intervenção do Ministério Público, do Ministro da Cultura, do Instituto do Património Cultural, do Provedor da Justiça, para repor a legalidade em autorizações da edilidade.

“A CMSV autorizou construções inapropriadas na Rua Pedonal que liga a Praça Nova à Avenida Marginal, condicionando indevidamente a circulação de pessoas na mesma Pedonal”.

Nas justificativas para o abaixo-assinado diz-se que a CMSV vendeu ao Mindel-Hotel o terreno encaixado nas traseiras do Mindel-Hotel. “Com essa decisão, a Câmara Municipal atropelou a lei, ao passar por cima do órgão competente para aprovar alterações aos planos de pormenor. Os proprietários do Mindelo-Hotel, de mãos dadas com a Câmara Municipal, resolveram cometer um dos piores crimes urbanísticos de que se tem memória no Centro Histórico do Mindelo – Património Nacional”.

A acusação é que a CMSV tem beneficiado o Mindel-Hotel e este tem prosseguido as suas obras de expansão na parte traseira do hotel, mudando a configuração do espaço. “O Centro Histórico do Mindelo é classificado como património histórico e cultural nacional, cujo mapa de localização se encontra em anexo à presente Resolução e, dela faz parte integrante”.

Esse grupo de cidadãos quer ver resposta a legalidade para que se coloquem limites nas obras e quer pedir às autoridades para acompanharem o processo sem prejuízo para a ilha e exigir à edilidade esclarecimentos em relação ao processo. Ao Ministério da Cultura que “crie as condições para a salvaguarda do Centro Histórico do Mindelo como Património Nacional que é cumprindo a lei”.

Do grupo de cidadãos destaca-se, Leão Lopes, João Branco, Luiz Silva, Daniel Martins de Brito, Eng.º Carlos Araújo, Manuel Figueira, António Jorge Delgado, Evandro Matos, Alexandre Novais, Antónia Mosso e ainda o Padre António Fidalgo de Barros.

  1. Eu, nem sou a favor nem contra, porque poucas pessoas lembram desta rua e muitas também sabem se ela existe. Há coisas piores que esses grupos de cidadãos deveriam estar a exigir mas enfim, já era.

  2. Jorge

    Um grupo de desocupados é que estão a fomentar isso. Arranjem trabalho para fazer, pá!

  3. pedro clóvis

    Na realidade, o espaço ocupado pelo MildelHotel que liga à avenida Marginal, não está a ser feito de forma correcta. Mas chamar aquele “canal” do antigo quintal da Miller’s” de património da cidade, é um exagero de todo o tamanho. Esse grupo de assinantes do documento, tem gente séria, o que espanta o observador atento. O que não espanta, é a presença de conhecidos “faladores” de esquina, que nada fazem e só querem emperrar as coisas. Veja-se a casa dos “doutores” na rua Fernando Fortes, hoje Delegacia de Saúde. Relax gente. As coisas andam, mas sem exageros. É só exigir ao Hotel que abra o tal portão de um espaço que não lhe pertence. Agora…património?…

  4. João Medina

    Gostaria de subescrever o abaixo assinado.
    Como poderei fazê-lo?

    João Baptista Ferreira Medina(John Jenny)
    médico
    ex-ministro da saúde e ex-deputado da Nação

  5. Joquim Paris

    Teem toda a razão esses assinantes da petição e, mais, deviam tê-lo feito circular para mais cidadãos assinarem, porque o que está a acontecer com aquela pedonal não é normal. Os pedonais servem para circulação a pé, contrariamente do que acontece com esse que passa pelo Mindel-Hotel e não é só com isso que a Câmara tem feito coisas escuras, noutros momentos já fez até pior. Há, no entanto, algo estranho com essa petição, pois, entre muitos assinantes, pessoas de bem, estão gente que muito camufladamente – ou mesmo às claras – tem feito igual ou pior, como é o caso do Antonio Jorge Delgado que ainda no tempo da sua estadia na Câmara, no tempo do Sr Salomão, arranjou terreno no meio de uma Rua, onde hoje mora ele e o Cândido Salomão, junto da Igreja Nazarena, embicando e tornando aquela curva quase letal, assim como fez com os Terrenos da Tateja, tudo isso passou ao esquecimento dos Mindenses.

  6. António Joaquim de O

    Infelizmente, já não é possível recuperar o património que já foi destruído. Por isso felicito e dou todo o meu apoio àqueles que lutam para que o que nos resta do nosso património histórico e afectivo seja preservado. Bem hajam!

  7. AINDA BEM

    TODOS LEMBRAMOS DA ASNEIRA QUE O KUXIM QUERIA FAZER PERTO DA PRAÇA DR REGALA. AGORA O AUGUSTO NEVES QUER FAZER PIOR COM O MINDEL HOTEL. NÃO VAMOS DEIXAR. SE FOR PRECISO SAIREMOS NA RUA PARA MANIFESTAR.

  8. s.vicente sempre

    Brevemente a agencia Marítima e Portuária partirá para uma greve se não obtivermos uma resposta por escrito do Presidente toy Cruz. ele pensa que está a falar com ignoreantes. Mas ao menos os ignorantes tem diplomas verdadeiras.

  9. hora di bai

    O PResidente da Nossa Querida agencia Marítima anda a cantar “Daqui não saio, daqui nunguem me tira” em vez de cantar hora di bai. todos que entram na agencia marítima pela porta dos fundos, falam mal dos funcionários e ainda teimam em ficar na agencia marítima. Não queremos chefias arrogantes e mal agradecidas. enriquecem e falam mal dos funcionários. Deviam ter vergonha.

  10. Maria da Conceição F

    Respeitem a ilha de S. Vicente e a nossa linda cidade do Mindelo!

  11. Maria da Conceição F

    Respeitem os mindelenses!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.