FRESCOMAR ameaça parar produção porque não está a exportar

29/06/2016 08:14 - Modificado em 29/06/2016 08:14

frescomarA Frescomar, empresa de transformação de pescado, com fábrica no Lazareto, São Vicente, ameaça despedir o pessoal e reduzir a produção. Isto porque a fábrica não consegue escoar a produção devido a “burocracias para proceder à exportação de nove contentores de produtos transformados, revelou-o à Inforpress o Director-geral da empresa, Manuel Monteiro.

Este acusa a Autoridade Competente para os Produtos das Pescas (Acopesca), que alega falta de pessoal para proceder à inspecção dos contentores que são exportados. À inforpress disse que “neste momento, temos vários contentores em terra e uma embarcação prestes a sair do Porto Grande, mas não está a ser possível embarcar os contentores”. Acrescenta que “se o problema não for resolvido, a fábrica vai sentir-se na obrigação de reduzir a produção, pois produzir e não exportar vai ser um colapso total”. Diz que, neste momento, a fábrica tem à espera da inspecção nove contentores de conservas e de lombos de atum cozidos e congelados, no total de 225 toneladas e mais 13 contentores da Atunlo que é a empresa que faz a concessão da plataforma de frio, e que se encontra na mesma situação.

Acopesca nega acusações

Contactada pela Agência Inforpress no Mindelo, o Presidente do Conselho de Administração da Autoridade Competente para os Produtos das Pescas (Acopesca), Óscar Melício, disse que “não é verdade que há falta de inspectores e os exportadores sabem-no muito bem. Agora eles têm de cumprir com o que a legislação exige, dispor da documentação e dos certificados necessários, caso contrário o produto não entra na União Europeia”.

O que sucede é que às vezes “alguns exportadores” não conseguem dar vazão àquilo que a legislação cabo-verdiana exige em matéria de exportação, condizente com a legislação dos países de destino.

“A Acopesca é obrigada a ser flexível e nós temos sido flexíveis em ajudar os operadores quando não conseguem cumprir com o que está na legislação para que haja exportação em tempo útil”.

Fonte Inforpres

  1. Jorge

    ACOPESCA, ainda não foi substituído o chefe?
    Ainda os do paicv falam em perseguição!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.