Emigrante devota de São João Baptista cumpre promessa com “Kmida d´anjos”

24/06/2016 09:02 - Modificado em 24/06/2016 09:02

cachupaAntónia Joana da Cruz é uma mulher crente, devota ao santo João Baptista. A cabo-verdiana de 64 anos reside nos Estados Unidos há mais de 30 anos e sofre de uma doença motivo pelo qual se encontra constantemente em tratamento, mas isso não é razão para deixar de vir à sua terra natal para pagar a sua promessa a São João Baptista. Preparar e distribuir uma refeição a todas as crianças, e “k´mida d´anjo”, vento cultural antigo que caiu no esquecimento.

“Não sou gato mas tenho sete vidas, por isso, enquanto há vida, saúde e força para festejar o meu santo devoto, todos os anos estarei na Ribeira de Julião para cumprir a minha promessa”. É assim que Antónia Joana da Cruz manifesta a sua fé em São João Baptista que se celebra a 24 de Junho.

São João Baptista foi um santo e mártir que baptizou muitos judeus incluindo Jesus Cristo no Rio Jordão. A festa junina é comemorada um pouco por todo o País e, com a sua força e tradição, traz muitos emigrantes à terra natal, como é o caso de Antónia, natural de São Vicente, residente nos Estados Unidos onde, por motivos de força maior, vive há mais de trinta anos.

Acompanhada da filha, Antónia regressou a São Vicente para a tradicional “kmida d´anjo”, um evento cultural antigo. Segundo a entrevistada, o acto deve-se às muitas bênçãos concedidas por São João Baptista.

Mergulhada em prantos, Antónia explica que “estive bastante doente e os médicos disseram-me que não tinha cura e que o tempo de vida era muito curto. No entanto, continuo em tratamento há mais de quatro anos e continuo com vida”.

Recuperar a antiga tradição e cumprir a promessa feita ao Santo João Baptista pelas bênçãos concedidas são os motivos do regresso da emigrante. A entrevistada acredita fielmente nos dois santos, Santo António e São João, que deram origem ao próprio nome das festas, por isso, não se incomoda de vir a Cabo Verde cumprir a sua promessa e pedir saúde e vida aos santos.

“Fiz uma promessa ao meu santo devoto São João Baptista que enquanto permanecer com vida regressaria à Capela de São João Baptista na Ribeira de Julião para cumprir a promessa de participar na eucaristia e preparar um grande banquete para as crianças, assim como fazíamos antigamente a tradicional “K´mida d´anjo”.

Vizinhos, amigos e familiares, preparam a refeição e as panelas enormes aguardam para irem ao lume. “Catchupa, feijoada e canja são as refeições que serão servidas no dia 24 de Junho e todas as crianças estão convidadas. E para quem não chegar a tempo, para o próximo ano, se Deus quiser, há mais”.

  1. Norberto Costa Vieir

    Meus caros amigos, cá para estas bandas escrevemos “Cmida d’ónj”. Escrever comida Kapádo é no mínimo hilariante.

  2. Dje Guebara

    Eu tambèm estou aqui em America por 30 anos a festa de Son Jom è nha festa de tradição, eu não fui mais enviei minha filha Samira e o meu neto Chris para ir festejar e tambèm para que o meu neto nascido aqui em Florida para conhecer as nossas tradições. Viva Son Jom, Viva K’mida d’anjo. Dje Guebara M’nin d’soncente.

  3. Dje Guebara

    Festa Son Jom, Festa de nha terra, mi t’bem um ta lembra n’qx temp d’nha infancia q’x k’mida d’anjo na tud zona d’soncent , era um ligria bo tava oia m’nin ta corrê pa rriba e pa bôx pa k’el k’mida d’anjo. Soncent era sab, era doce n’qx on de 60, 70, d’pox tud caba na nada. Soncen nha terra d’sodade don-de q nha imbiq ta imterrôd, soncent terra amada, nha ilhinha cum ta leva na nha curasão. Terra dos meus amores. Dje Guebara.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.