Vital Moeda assegura que a CRASDT e o Inácio Cunha descrito pelos jornais, não são os que ele conhece

22/06/2016 07:38 - Modificado em 22/06/2016 07:38

vital moedaO Procurador Vital Moeda, recorre à sua página do Facebook para esclarecer alguns factos sobre a polémica que envolve a CRASDT, após as confissões de alguns membros e a aplicação de Termo e Residência a Inácio Cunha, sendo considerado o Líder da Congregação, facto que também foi apontado como uma inverdade pelo Procurador e membro da CRASDT.

No perfil de Vital Moeda lê-se que “eu não conheço a CRASDT e o Inácio Cunha que eu li nas reportagens de vários jornais nacionais – não existem mesmo!”. Acrescenta ainda que os membros expulsos da CRASDT não têm por base bons motivos. Todavia, uma internauta assegura que “nunca ouvi falar de uma igreja que expulsa os seus fiéis” e Vital Moeda, como membro da CRASTD, argumenta que “isto é uma concepção pessoal tua. Na verdade, deves conhecer que DEUS expulsou Satanás e os seus demónios do céu como podes ler em Apocalipse 12.9. Em Timóteo 1.20 tu encontras o apóstolo Paulo a expulsar Himineu e Alexandre da Igreja (…), os que foram expulsos foi porque não quiseram mais nada com DEUS. Os que ficaram lutam para deixar todos os seus males, procuram arrependimento e perdão para se reconciliarem com DEUS em cumprimento de Provérbios 28.13 que diz que aquele que encobre (esconde como os que saíram) não prosperará mais, o que confessa e deixa (os que ficaram) alcançará misericórdia”.

O Procurador Vital Moeda que aguarda ainda a exoneração do cargo, frisa que Inácio Cunha nunca esteve no Tribunal nem nunca foi detido, mas foi levado pela Polícia Judiciária para ser identificado e aplicado TIR e assume que sempre esteve com Inácio Cunha. Vital Moeda agradece os comentários, pedindo que as pessoas fiquem em paz.

Esclarecimento sobre a hipocrisia

O Procurador Vital Moeda explica ainda o conceito de hipocrisia e escreve que “a Hipocrisia é confessar e publicar pecados de orgias com que se demonstra arrependimento e se abomina a prática e se educa e se promove para todos (inclusive adolescentes) que tal não deve ser feito, ou a VERDADEIRA HIPOCRISIA é faze-la, vê-la (através de filmes, revistas e afins), consenti-la (noutros, inclusive em adolescentes), pensar nela (na nossa intimidade) ou sentir desejo por ela e permitir e promover que as nossas crianças tenham acesso livre à internet a qualquer hora do dia e da noite (onde destaca a internet nos telemóveis) e convivam com estas imagens e cenas que lhes são dadas gratuitamente pelos próprios pais sem qualquer tipo de censura e/ou educação que tais práticas são contra os princípios santos de DEUS e depois fingir que NADA disto esteja a passar debaixo dos seus próprios olhos?”. O membro da CRASDT, também assegura que a verdadeira hipocrisia não é a exposição dos pecados e o combate contra os mesmos e justifica que “as pessoas da nossa Congregação que se envolveram em prática de orgias (no passado) estão arrependidas e tiveram a coragem de se humilharem publicamente de modo a demonstrarem, claramente, que tal coisa, JAMAIS voltarão a fazer”.

  1. Badio

    Katxor ki ta kumi kabra ka tem solusom. Mesmo fartu é ta mata só pe xinti gostu sangi na boka. Ka nho bem da di moralista ku tenta xplika kuze ke hipocresia.

  2. neves

    Essa tal de CRASDT não é digno de ser chamado de igreja ou religião. Os seus membros que me desculpem, mas uma uma seita vulgar que foi fundada ha dias (2003!!), com algumas dezenas de seguidores, ainda por cima que surgiu na base de contradições com a igreja mãe (Adventistas)!! Para mim não tem bagagem suficiente, peca por credibilidadel!! Era só o faltava, agora cada qual que se discordar dos ensinamentos biblicos, sai por ai e funda a sua propria “igreja”!!? Os seus membros dizem-se conhecedores da Biblia, mas cometam escandolo sexual grave, ao nivel dos filmes de Hooliwood. Onde estava a vossa fé em Deus? Onde estava os vossos principios éticos e morais???

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.