Escola Salesiana: Alunos que desviaram PGI punidos com suspensão

22/06/2016 07:36 - Modificado em 22/06/2016 07:36

escola salesianaDezasseis alunos do 12º ano da Escola Salesiana foram punidos com suspensão e repreensão escrita por terem desviado uma Prova Geral Interna (PGI) da disciplina de Português. Dada a situação, a prova foi anulada e elaborada uma segunda prova.

O Conselho de Disciplina da Escola Salesiana no Mindelo sancionou um grupo de alunos que teve acesso a uma Prova Geral Interna da disciplina de Português. Quatro alunos ludibriaram os professores e conseguiram ter acesso à prova enquanto que o resto do grupo aproveitava da boleia para ter boas notas.

Entretanto, a direcção da escola tomou conhecimento da manobra dos alunos e com a ajuda de dois professores da disciplina de Língua Portuguesa, acabaram por descobrir os alunos. O referido teste foi anulado tendo os alunos sido submetidos a uma segunda prova.

Em entrevista ao NN, o Presidente do Conselho de Disciplina Alexis Gomes avançou que alguns alunos suspeitos de envolvimento na fuga do enunciado do teste foram abordados e terão feito uma confissão parcial dos factos enquanto que outros resistiram.

Entretanto, os envolvidos foram confrontados com a correcção dos testes onde acabaram por assumir o acto. Alexis Gomes afirma que o Conselho de Disciplina fez o seu trabalho e mostrou aos alunos que foi um acto negativo, uma vez que a escola prima por valores, logo a situação não poderia ficar impune.

À luz do estatuto dos alunos e do regulamento interno da Escola Salesiana, quatro dos alunos foram punidos com suspensão de três dias enquanto que outros doze foram sancionados com repreensão escrita uma vez que, de livre vontade, colaboraram para a descoberta da verdade.

O Director da Escola Salesiana, padre João de Brito Carvalho, esclarece que “foi algo premeditado por alguns alunos com dificuldades que muitas vezes, por necessidade de afirmação perante os colegas, são capazes de tentar de tudo e que, apesar da penalização, vão contar pela vida toda que conseguiram ludibriar todo o sistema organizativo da Escola”.

O Subdirector pedagógico, José Carlos Neves, garante que se trata de uma “situação isolada” em que a escola tomou as devidas medidas no sentido de repor a legalidade.

  1. Mindelo

    Isso é uma vergonha. Essa escola tem mania de melhor mas essas coisas sempre acontece lá.
    Os alunos fizeram errado, mas e a professora? O que ela apanhou? É ou não um ato de negligência?
    Essa é a nossa educação. Escolas que fazem o que querem. Uns não fazem testes, outros mudam horários, não dão intervalo, fazem horários para beneficiar os professores e assim alunos vão 2 periodos, enquanto os professores vão somente um. Sra Ministra isso é uma denúncia. No ME é preciso pulso ou vamos para o abismo

  2. Francisco andrade

    É um ato muito grave. .
    Muitos desses alunos que copiam ” façam cábulas” chegam nas entrevistas de emprego e são “chumbados” pois não demonstram possuir conhecimentos sobre a formação académica.

  3. professor

    Tres dias é muito pouco.de acordo com o estatuto do aluno deveriam ter cinco dias, os principais culpados e tres dias para os colaboradores.

  4. joaquim manuel Luz

    infelizmente optou-se por sancionar a parte mais fraca, os alunos, quando quem devia ser sancionada em primeira instancia era a professora de portugues que foi negligente ao permitir o acesso ao seu pen drive (suporte informatico) a quem o cedera emprestado.
    o jornalista devia ir mais a fundo da questão ouvindo todas as partes: os encarregados de educação, os alunos envolvidos e sancionados, as professoras, etc.

  5. joaquim manuel Luz

    infelizmente optou-se por sancionar a parte mais fraca, os alunos, quando quem devia ser sancionada em primeira instancia era a professora de portugues que foi negligente ao permitir o acesso ao seu pen drive (suporte informatico) a um aluno a quem o cedera emprestado.

  6. Penso que os alunos que saquearam o dispositivo deveriam receber, pelo menos, 5 dias de suspensão já que foi um ato intolerável, absurdo e que também deveriam pensar antes pois, estes são pré-universitários… mas o mal já está feito, já foram sancionados… Relativamente a professora foi um ingenua… mas sanciona-la seria muito exagero, no entanto deveriam era repreende-la pela sua ingenuidade…

  7. Adalberto Fortes Mon

    Conhece essa escola ao qual tenho recordações importante erespeitopenso ser um caso isolado

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.