PJ invetiga maus tratos e abusos na CRASDT

13/06/2016 08:09 - Modificado em 13/06/2016 08:09

PJAs autoridades cabo-verdianas estão a investigar suspeitas de maus tratos e abusos numa congregação religiosa que acolhe crianças na cidade da Praia e a Polícia Judiciária (PJ) deteve três pessoas relacionadas com a instituição.

Fonte da Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde disse à agência Lusa que, na sexta-feira, três pessoas ligadas à referida congregação foram detidas quando tentaram impedir a entrada de uma delegação de responsáveis de organizações cabo-verdianas de proteção de crianças no edifício que acolhe a igreja e o centro, no bairro de Ponta D’Água.

A delegação, composta por elementos do Ministério Público, Curador de Menores, Instituto Cabo-Verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), Polícia Judiciária e Comissão Nacional dos Direitos Humanos e Cidadania (CNDH), pretendia inteirar-se da situação em que se encontram as crianças e fiscalizar as condições do centro de acolhimento.

“Houve resistência e desacatos com as autoridades e três pessoas foram detidas”, indicou a fonte.

A fiscalização surgiu depois de vários fiéis da Congregação Reformada dos Adventistas do Sétimo Dia de Tendas (CRASDT), – incluindo um juiz da comarca da Praia, uma sua irmã que é médica na ilha do Fogo e um procurador – terem divulgado publicamente “confissões” com detalhes da sua participação em orgias, práticas de incesto e consumo de álcool e drogas.

Tanto o juiz como a médica foram alvo de processos disciplinares e estão suspensos preventivamente por causa da repercussão pública que o caso está a ter.

Nas referidas confissões há ainda relatos de violência e coação sobre os fiéis e referências a maus tratos físicos e abusos crianças do centro de acolhimento, alegadamente a mando do responsável da congregação.

Contactado por vários órgãos de informação locais, o juiz justificou a divulgação dos documentos como parte de um processo de “limpeza da alma perante Deus”, alegadamente instigada pelo líder da CRAST.

Por seu lado, o líder da congregação, contactado pela imprensa local recuou-se a falar sobre o assunto, adiantando que no momento certo falará com os jornalistas.

A fonte da PJ adiantou que foi já entregue uma denúncia na Procuradoria-Geral da República e que às autoridades judiciais estão a recolher informações sobre o caso.

Zelinda Cohen, da Comissão Nacional de Direitos Humanos e Cidadania (CNDHC), considerou, em declarações à agência Lusa, que os relatos “apontam suspeitas de abusos sobre as crianças”.

A responsável, que sexta-feira integrou a equipa que pretendia visitar o centro, sublinhou a importância de certificar o mais breve possível as condições em que as crianças se encontram, adiantando que autoridades “estão a trabalhar” nesse sentido.

Relatos de vizinhos recolhidos pela Rádio Nacional de Cabo Verde, no bairro de Ponta D’Água, dão conta de situações em que as crianças desmaiam com fome e apontam o caso de um adolescente que se terá tentado suicidar, alegadamente devido aos maus-tratos de que era alvo.

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, já se pronunciou sobre o caso, adiantando que está em curso “uma intervenção no domínio judicial” e que o Governo irá “mandar avaliar se se trata de uma confissão religiosa organizada e se tem licença para funcionar”.

Ulisses Correia e Silva disse ainda que serão tomadas medidas para investigar as motivações das pessoas envolvidas nessa organização e lembrou que a legislação cabo-verdiana não permite a existência de seitas.

A Congregação Reformada dos Adventistas do Sétimo Dia de Tendas (CRASDT) foi fundada em 2003 por um grupo de pessoas dissidentes da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Lusa

  1. Carlos Fortes

    Bastante estranho o silêncio que Notícias do Norte manteve no que respeita à cobertura deste caso bastante mediático.

  2. CidadaoCV

    Há qualquer coisa que não bate certo nesta sigla CRASDT … “de Tendas”? Não combina com o resto. Há Adventistas de Tendas? … Que vivem em tendas? ……

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.