Pensão de sobrevivência: Governo atribui até 40 mil escudos de pensão aos familiares das vítimas de Monte Txota

10/06/2016 08:19 - Modificado em 10/06/2016 08:19

FERNANDO ELISIO FREIREDe acordo com a Presidência do Conselho  de Ministros, a pensão será atribuída aos familiares tendo em conta o estatuto dos militares das Forças Armadas Cabo-verdianas. Esta decisão surge após deliberação da reunião semanal do Conselho de Ministros.

Os familiares dos soldados ou “praças” receberão aquilo que recebe um primeiro-cabo e o sargento receberá uma pensão que o sargento recebe normalmente, ou seja, os familiares dos “praças” terão uma pensão no valor de 23 mil escudos e o sargento receberá uma pensão equivalente ao salário desse posto (40.000$00).

No caso destes militares terem filhos, serão os filhos a receber a pensão até atingirem os dezoito anos e, se estiverem a estudar, até aos vinte e cinco anos. Por sua vez, se forem os pais, estes receberão a pensão até à morte.

“O Governo está a cumprir aquilo que tinha prometido aos familiares”, afirma Fernando Elísio Freire que assegura ainda que será feita uma reunião entre os familiares das vítimas e a chefia das Forças Armadas e o Governo para se definirem os termos da pensão.

“O Governo também decidiu fazer uma resolução de Conselho de Ministros para compensar os familiares do civil morto na tragédia de Monte Txota e, portanto, esta resolução será aprovada na próxima reunião do Conselho de Ministros.

 

  1. Confuso

    Impressão minha ou lí tita referí somente familiares de sargento e soldados? E kes civil?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.